2016: o ano da SUA virada!

Por Pâm Bressan

Opa, mas como assim? Não será o “ano da crise”? Mas….. quem disse que na crise as coisas não podem virar para melhor? Isso mesmo, na crise tudo pode acontecer! O dinheiro somente inverteu a ordem de prioridade. Fique atento!

É preciso ter um problema para criar uma solução correto? Ou seja, assim nasce um produto novo, e na crise temos o quê? Um monte de problemas. A crise aperta, faz a gente enxergar além da zona de conforto em situações que até então não tínhamos pensado a respeito, é aí que moram novas soluções!

Não podemos acreditar em tudo que ouvimos pelas mídias, precisamos filtrar, acreditar que a crise existe, mas não se deixar contaminar com informações pessimistas. A forma de pensar também influencia as nossas ações, não pense ou enxergue pelo lado negativo, mas sim pelo lado positivo da vida, a forma como você vê, fala e mentaliza, influencia os seus resultados.

Fonte da Imagem: Estúdio Trevisart

Fonte da Imagem: Estúdio Trevisart

Gostaria de compartilhar com você um belíssimo texto de um dos meus mentores o qual possuo imensa admiração, o bilionário Flávio Augusto da Silva, do Geração de Valor:

A crise existe e está aí presente no Brasil através das mais de 225 mil demissões em 2015 até agora, da inflação que não para de subir, dos juros mais altos do mundo e de um índice massivo de reprovação do governo por parte da população entre todas as classes sociais. Isso tudo sem contar com a violência urbana que esfaqueia nossa população e contabiliza quase 60 mil assassinatos todos os anos. Nem em regiões críticas de guerra mata-se tanta gente quanto no Brasil.

Sim, a estabilidade não existe mesmo e se engana quem pensa que há alguém seguro se este cenário se agravar. Periodicamente, agências de risco visitam o Brasil para avaliar os fundamentos de nossa economia e se perceberem que o Brasil oferece risco de não honrar suas contas, a classificação do país pode ser rebaixada.

Você sabe quais seriam as consequências? Primeiro, grande parte dos investimentos internacionais que são feitos hoje em nosso sistema financeiro saem do país de imediato. Além disso, outros investimentos que entrariam são cancelados.

E qual é o problema?

Nessa hipótese, com a redução de capital internacional em nossa economia, o preço do dólar sobe. Ou seja, há um ano, o dólar estava na faixa de R$ 2. Hoje, oscila entre R$ 3,10 e R$ 3,30. Com o possível rebaixamento, a moeda norte-americana poderá alcançar um patamar entre R$ 4 e R$ 4,50. Isso afeta seu negócio?

Não quero assustar você, mas lembre-se: estabilidade não existe.

Podem falar o que for e continuar a fazer discursos populistas, mas o maior programa social de um país é sua economia estável. Discursos bonitinhos não pagam as contas de luz ou a gasolina, que aumentaram exorbitantemente. Além disso, não há bolsas assistenciais que resistam a uma inflação galopante.

Em cenários de crise, prepare-se, reduza custos, faça reservas e aproveite para observar as novas necessidades que vão aparecer nesse cenário. É justamente aí que as oportunidades para você construir um projeto e prosperar no meio da crise aparecem.

Na crise, há mais mão de obra de qualidade disponível precisando de uma oportunidade. A chance de exportar em cenários de moeda fraca aumenta e cursos para aprimorar os profissionais que desejam conquistar uma nova posição no mercado de trabalho são mais procurados.

No meio da crise, o dinheiro muda de mão e as cartas são redistribuídas. A velocidade para se adequar à nova realidade é o que fará a diferença. Essa pode ser sua chance de empreender e mudar sua história.

Fique atento e não entre na pilha derrotista em que muitos caem nos momentos de crise. Agora é a hora da verdade. Esteja preparado.

Somos GVs!”

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

onze − 7 =