A quebra de tabus e o trabalho feminino

Por Fernando Lorenz e Honi Rubik

Muito tem se discutido sobre projetos sociais que levem o desenvolvimento às comunidades, e as grandes empresas tem investido nisso. Uma visão mais aprofundada das necessidades locais pode levar à reflexão de que o que falta é ousadia em enfrentar novos desafios, tanto do poder público e das empresas quanto dos próprios cidadãos.

Fazendo uma análise do trabalho feminino hoje no Brasil, é possível identificar que a maioria das mulheres tem multitarefas e acabam tendo muitas dificuldades em encontrar uma fonte de renda fixa e um trabalho estável. Isso parece um contrassentido se pensarmos que em muitas comunidades falta mão de obra. O problema é que as vagas, na maioria, são consideradas masculinas. Esta situação está impedindo o desenvolvimento local.

Fonte da imagem: Google

A solução, aparentemente fácil, para esta equação seria capacitar estas mulheres para realizar esses trabalhos, no entanto não se trata apenas de qualificá-las para o desempenho da função, mas também, de quebrar tabus. Quem conhece um pouco mais essas mulheres, sabe que elas tiveram uma vida difícil, sem oportunidades de ter um bom ensino e de ser incentivada a buscar uma vida melhor. Também é preciso empoderá-las.

Vimos, atuando nessas comunidades, que a fórmula para iniciar a solução desses problemas era motivá-las, ajudando-as a incrementar a sua autoestima e fazendo-as refletir e querer desenvolver uma ideia talvez até fora do comum, a ter um Trabalho Desafiante, a superar limites tenuamente impostos.

Nós provamos que isto pode ser feito e como acreditamos na força das parcerias fizemos este despertar com a ajuda do Empreendedorismo Rosa e fomos muito bem-sucedidos. Contaremos essa história de sucesso no nosso próximo post. Aguarde!

0 Comentário

  1. analucia@gmx.net'
    Ana Muenzner 22 de maio de 2014 10:22 Responder

    Parabéns por trazerem um novo olhar para questões existenciais de nossa sociedade. Curiosa para o próximo post!!!

      • florenzrio@gmail.com'
        Fernando Lorenz 23 de maio de 2014 08:12 Responder

        Olá Ana,
        Fico feliz em saber que mostramos um olhar novo sobre o que já conhecemos. Esta é a lógica da inovação que é o que pretendemos fazer com nossos projetos. Um problema ainda sem solução não vai ser resolvido sem criatividade. Temos que ir mais profundamente já que a superficialidade nunca traz a resposta. Um abraço.

      • augusto_prim@yahoo.com.br'
        Augusto Prim 22 de maio de 2014 15:28 Responder

        Fernando, muito bom, concordo com o que escreveu, interessante o ponto de vista sobre o paradoxo da falta de m.o. do mercado com a falta de trabalho para as mulheres, temos que mudar isso!! Rsrsrs

          • florenzrio@gmail.com'
            Fernando Lorenz 23 de maio de 2014 08:07 Responder

            Augusto,
            Obrigado pelo teu comentário. Gostamos muito de reclamar de situações que nos incomodam mas poucas vezes tratamos de resolver estas situações. Este é o caso que mostramos no artigo. Podemos resolver mas para isso temos que buscar uma solução profunda e não superficial. Um abraço.

          • ackolb@cewmarketing.com'
            Ana Cristina 23 de maio de 2014 13:47 Responder

            Boa tarde Fernando, tenho que dizer que fiquei muito intrigada com algumas afirmacoes no seu texto: “Grandes” empresas interessadas em desenvolver “comunidades” ? Qual o objetivo? preencher esta falta de mao de obra? que tipo de comunidades neste caso, comunidades carentes em cidades de grande e médio porte? ou em pequenas cidades? Outro ponto importante, que tipo de “vagas de empregos” seriam pensadas para “homens”? Vou adorar ler o proximo post, principalmente porque sou brasileira morando ha mais de 20 anos ao redor do globo, e trabalho também com integração profissional da diaspora brasileira. Estive ano passado participando de um evento internacional da “Fundacao Dom Cabral”, sobre “Inclusão social” vs. “Capitalismo” do ponto de vista Macro, Micro e como Lideres de vários países, me alegro desde de ja de saber mais sobre os projetos desenvolvidos! UHUUU Muito bom, ja vi que o Empreendedorismo Rosa sera um ótimo ponto de troca de informação e inspiração importante pra mim! Parabens pelos comentários sobre aspectos de cooperação, auto-estima e inovação, que são realmente tao “ROSA”e tao importantes pro despertar e desenvolvimento dessas mulheres que precisam e querem tanto ter uma vida digna pra si e pra seus filhos, afinal ja foi comprovado academicamente, que a mulher quando ganha dinheiro, ela melhora as condições de vida da família, enquanto com os homens nem sempre é o caso. Torcamos pra que cada vez mais possamos juntos, homens e mulheres, construir um mundo mais humano! Namasté 🙂 e parabens pela iniciativa!!!! Empreendedorismo Rosa e Empresas participantes!!!!!

              • florenzrio@gmail.com'
                Fernando Lorenz 25 de maio de 2014 15:37 Responder

                Ana Cristina,

                Com a Honi agradecemos muito o teu comentário tão interessante. No próximo post vamos dar mais detalhes desse projeto mas não vai dar para comentar tudo o que te interessou. Se quiser talvez podemos nos contatar diretamente para te dar uma resposta mais completa sobre as tuas inquietudes.
                Um abraço.
                Fernando.

              Deixe um Comentário

              O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

              *

              vinte − 4 =