“Se você pensar que nunca mais será feliz, nunca fará coisas que trazem felicidade”

Por  Empreendedorismo Rosa

*Texto original do site: Vamos falar sobre o LUTO?  com Cyntia Almeida

Uma das formas de atravessar o luto e construir resiliência é combater a permanência. Você tem que acreditar que não será sempre tão ruim. Do contrário, não terá forças para fazer com que não seja sempre tão ruim.

Como todos que passaram pela perda de alguém muito querido, Sheryl Sandberg, a executiva do Facebook que viu seu mundo de harmonia e sucesso desabar, há 2 anos, com a morte repentina do marido, Dave Goldberg, acordava todos os dias pela manhã desejando que fosse um pesadelo. Não era.

Mas era como se fosse e parecia que jamais acordaria daquele sonho terrível. “Todas as manhãs eu acordava para ver que ele se fora. E que aquela dor nunca iria me deixar. Nunca.”

Foi o psicólogo Adam Grant, seu amigo pessoal com quem viria a escrever seu novo livro, Plano B – Como encarar adversidades, desenvolver resiliência e encontrar felicidade , que a advertiu primeiro contra o uso das palavras SEMPRE e NUNCA. Sheryl afirmou que nunca mais seria capaz de sentir uma felicidade verdadeira.. Adam ligou para ela e disse: “Se você pensar que nunca mais será feliz, nunca fará coisas que trazem felicidade”apsposts_agosto_LP

Segundo o psicólogo, quando estamos diante de uma perda devastadora, é natural que façamos aquilo que ele define como “previsão afetiva”, a nossa habilidade de prever como será nosso futuro emocional. O psicólogo Dan Gilbert, estudioso do comportamento diante da adversidade, afirma que as pessoas, diante de situações tristes e difíceis, tendem a superestimar o quanto será ruim e por quanto tempo. Pensar que vamos nos sentir tão mal, como estamos nos sentindo naquele momento, por toda a vida é acreditar na permanência. No entanto, uma das poucas coisas de que temos certeza na vida, é de que tudo é impermanente. Podemos estar felizes hoje, mas isso não garante que estejamos felizes para sempre. Podemos estar tristes ou desesperados, mas isso também não é para sempre.
Reconhecer a impermanência começa por abolir as palavras definitivas. E substituir sempre por “às vezes”, “agora” ou “ultimamente” . E nunca por “algum dia”.

Em setembro o livro Plano B será o motivo de nossa Leitura com pROSA  ( grupo de leitura feminina) que acontecerá no dia 12/09 das 19h às 22h aqui no Empreendedorismo Rosa.

Livro e bilheteria no valor de R$ 60,00, á venda aqui em nosso espaço. Mande email para contato@empreendedorismorosa.com.br e reserve o seu.

Leia Mais

4 Recomendações para Empreendedoras podeRosas

Por Leonardo Pansardi Grisotto

Release profissional:

Empreender no Brasil é tarefa para poucos. Segundo o IBGE, os proprietários de empresas representam apenas 3,7% da população. Para ajudar as empreendedoras nessa difícil jornada, seguem algumas recomendações baseadas nas melhores práticas na gestão de empresas:

Planejamento

Há anos o Sebrae aponta a falta de planejamento (estratégico) como uma das principais causas de falência das empresas no Brasil. É preciso responder questões como: Qual é o nosso foco? Quem é o público-alvo? Quanto será minha margem? Quantas pessoas preciso na equipe? A demanda é real ou só está na minha cabeça? Onde queremos chegar? E por aí vai. Planejar é questionar. Questione tudo em seu negócio e busque melhorar sempre, em todas as áreas, não apenas naquela em que você é expert.

Fonte da imagem: Corbis


Liderança

Uma líder precisa cuidar da sua equipe. As pessoas trabalham em uma empresa porque eles querem fazer a diferença e saber que elas são importantes no processo. O lucro é consequência. É assim que uma companhia cresce.

Organização

Uma empresa organizada possui um sistema de gestão e processos bem definidos, que é a forma de se operar, o modus operandi, são as regras do negócio bem definidas e claras para toda a equipe. Aqui estamos falando de todos os processos, sejam eles financeiros, RH, marketing ou operacional. Todos, sem exceção, precisam ser mapeados a fim de se organizar a empresa.

Controles

Controle seu negócio. Você só conseguirá gerenciar o que conseguir medir. Controle os números críticos, sejam eles volume de vendas, margem de produtos, turnover ou geração de caixa. Crie indicadores e acompanhe-os ao longo dos meses. Isso é fundamental pra você saber onde está e se está indo na direção certa ou não!

Essas 4 recomendações formam a base pra gestão de qualquer negócio, em qualquer segmento da economia. A falta deles é justamente o ponto crítico que leva diversas empresas à falência, conforme as estatísticas. E reforçando esses pontos, como diria Jorge Paulo Lemann: “A gente só tem um truque, que é colocar gente boa e nosso sistema de gestão para mudar o resultado de uma empresa”.

Leia Mais

Empreendedora das Letras: Annita Phillipowski

Por Paulo Roberto Karam

Mais uma poetisa nos é apresentada pelo nosso colunista Paulo Roberto Karam, hoje é a vez de Annita Phillipowski

O segundo período das nossas letras femininas, iniciando em 1910 engloba as mulheres engajadas nas lutas pela liberação feminina e melhoria de seu status social e econômico. Essas pioneiras, tendo como modelo as feministas europeias, labutaram principalmente na Imprensa, com poesias, contos e outros textos importantes.

Os nomes imortais de Mariana Coelho, Zaida Zardo, Annete Macedo, Julia Wanderlei e Anita Phillipowski se sobressaem no cenário paranaense como militantes, “animadoras da cultura”, modificadoras da legislação e costumes vigentes.

Annita Phillipowski nasceu em Ponta Grossa em 2 de agosto de 1886. Filha de Carlos Leopoldo Phillipowski e de Maria do Nascimento Branco Philipowski, esta natural de Sorocaba – SP e casados em Ponta Grossa na matriz de Santa Ana em 5 de fevereiro de 1880. A educação dos filhos foi na fazenda, se efetivando com professores particulares contratados, geralmente estrangeiros, que passavam a residir na fazenda.

O currículo dava ênfase às artes (música e pintura), ao ensino das línguas (Alemão e Frances) assim como leituras de literatos da época, José de Alencar, Machado de Assis, Rimbaud e Baudelaire, Victor Hugo que foram as influências fundamentas da poesia e prosa de Anita.

Poetisa, prosadora, contista, novelista, fez parte do grupo das primeiras animadoras das letras femininas no Paraná. Destruiu quase todas as suas produções literárias, entre as quais existiam várias novelas inéditas. Os poucos poemas que conseguimos dão ideia da força e da beleza dos seus versos. Colaborou em jornais e revistas, principalmente no período de 1910 – 1940: A Bomba, Diário da Tarde, Fanal, Revista do Povo, Ilustração Paranaense, Prata da Casa Curitiba, Folha Rósea (Ponta Grossa), Correio de Botucatu, Diário de Sorocaba – SP e outros. Faleceu em Ponta Grossa em 30 de março de 1967.

 

rosa

 

O Soldado que Não Voltou

 

Era um muro todo fechado

e aqui e ali esborcinado

de tão antigo que mostrava ser.

E no lanço dessa vedação

estendia seus galhos e suas flores

uma rósea rosa trepadeira.

 

Daquela avoenga mansão

tão espaçosa quanto hospitaleira

era uma das coisas mais bonitas

esse muro vestido de roseira.

 

E nessa vetusta habitação

Centenária. Cheia de poesia.

Era ali que com meus pais residia.

Um soldado ora na guerra,

oficial era. Posto de Tenente

e tinha por nome Aristeu

 

E mais, nesse dia alguém ouviu.

Estava cheia de flor…Nesse dia

veio uma nova para o solar.

 

Há notícias que vem envoltas em crepe.

Tem a gente, ao receber, essa impressão.

 

Rachou-se a frente do casarão.

Dó.

E mais, nesse dia alguém ouviu

a mãe do Expedicionário soluçar:

– Deus!…Meu Deus!… Era só ele!

Perdão, Senhor!

Eu tinha um filho só!

 

E agora…

No seu consolo o galgo malhado

que tinha sido o enlevo do soldado

uiva baixinho em tom magoado.

Volvendo o seu dorido olhar,

para cima, para a região azul,

onde os que morrem pela Pátria vão morar,

a saudade ali está. Chora, parece

nos olhos do fiel animal.

 

E é como coisa

que chorasse a reclamar humildemente

– Aristeu!

Onde está você, Aristeu?

E mais, agora

de tanta flor aberta que tem,

a roseira, todinha cor de rosa,

sorri um sorriso dessa cor

e, não podendo enviar suas flores

para o cemitério de Pistoia,

manda um róseo sorriso para o Céu.” Anita Phillipowski – Um Século de Poesia

                                                                            Centro Feminino Paraense de Cultura 1959 (1953)

 

Leia Mais

Leitura com pROSA : Faça parte!

Por Empreendedorismo Rosa

Está esperando o que para adquirir seu livro da “Leitura com Prosa” – Empreendedorismo Rosa de abril? Nesta ocasião celebraremos os 2 anos deste projeto que vem empoderando mais mulheres através da leitura.

O livro que brindará este momento será, “O Futuro É… Viajar, Malhar, Estudar, Namorar e Investir!” da podeROSA jornalista, Mara Luquet.
pppleitura_com_prosa_abril

 

A afirmação no título deste livro – o futuro não será, ele é – revela a criatividade e o espírito inovador de Mara Luquet. Nenhuma surpresa para quem a conhece, pela mídia ou pessoalmente. Mara é visionária, inquieta, uma profissional que, com grande competência, transmite conceitos complexos com leveza e carisma.

Neste livro, ela elabora com maestria três mensagens essenciais para quem quer bem usufruir da “revolução da longevidade”:

• Sem dúvida é melhor envelhecer com qualidade a morrer cedo.

• É indispensável adotar uma perspectiva de curso de vida: quanto mais cedo nos prepararmos para bem envelhecer, melhor – porém, nunca é tarde demais.

• A longevidade que alcançamos demanda o acúmulo de quatro capitais: o da saúde (todos querem envelhecer com saúde, mas para isso é preciso investir nela); o financeiro (dinheiro não é tudo, mas, claro, facilita a vida); o de conhecimentos (adotando uma atitude de aprendizagem ao longo da vida) e o capital social (afinal, um dia, pode ser que precisemos de alguém que cuide de nós).

Do acúmulo desses quatro capitais depende nossa resiliência – dispor de reservas para reagir positivamente aos desafios da vida, adaptando-se a eles e, no processo, deles tirando lições. Com a revolução da longevidade, a vida deixou de ser uma corrida de cem metros para se tornar uma maratona. E, para chegar bem ao final, a própria Mara nos ensina: é preciso ter estratégias, preparo, resistência e superação.

Livros á venda no Empreendedorismo Rosa, se quiser reservar o seu, escreva para contato@empreendedorismorosa.com.br

 Bilheteria + livro : R$ 600,00 – dia 27.04 das 19h às 22h, no Espaço Adelina Hess/Empreendedorismo Rosa, na Rua 7 de abril ,1181, Juvevê, Curitiba- Paraná

Esperamos por você!

Leia Mais

Presente de NATAL? Dê um livro!

Entre os dias 10 à 18 de dezembro, das 12h às 20h, vai rolar o Bazar de Natal das podeROSAS no espaço Adelina Hess.
Uma ação conjunta do Empreendedorismo Rosa Le Mundi Livroteca & Café Terapêutico e Casa Máy – Aromaterapia e Vida Natural.

Você poderá comprar de quem faz e de quem representa marcas que vem fazendo a diferença no mundo empreendedor. Muitos produtos de qualidade e preço justo para presentear neste NATAL.

Os Livros da Leitura com pROSA estarão à venda com preço super especial, venha!

Fonte da Imagem: Estudio Trevisart

 

Ficamos na Rua 7 de abril, 1181 – Juvevê – Curitiba – Paraná

Entrada Gratuita!

Leia Mais

Bazar de Desapego Literário

Por Empreendedorismo Rosa

Acontece hoje o Bazar de Desapego Literário no Espaço Adelina Hess, uma ação conjunta do Empreendedorismo Rosa, Casa Máy e  Le Mundi Livroteca Café em Curitiba.

Fonte da Imagem: Blog Mundo em Pensamentos.

Fonte da Imagem: Blog Mundo em Pensamentos.

(mais…)

Leia Mais