Qual é o alvo do seu empreender na vida e na carreira?

Por Carla Costa

Aproveitando a inserção no Empreendedorismo Rosa da empresa Vedana  dirigida por mulheres  voltada à prática do Arco e Flecha a figura provocativa do alvo ficou tatuada no meu pensamento desde o início da manhã, e veio a pergunta: ”Qual é o seu alvo Carla?”

Pergunta complicada afinal vivo imersa em mil assuntos e interesses e dispersar não é nada raro afinal entre me preocupar com uma proposta de urbanismo que participo em Salvador ao propor proporcionar áreas de lazer em zonas degradadas socialmente e ambientalmente (assuntos correlatos, um sempre resulta  no outro), a extinção de uma rádio local de alto potencial cultural, a revitalização do Rio que corta Curitiba, a melhor iluminação para um restaurante familiar, a mudança da filha única, a parceria com o marido em alguns trabalhos, a parceria com novas equipes , caramba, qual é o meu alvo? Ou teria eu diversos alvos, dando força à  tão criticada frase popular, estaria eu “dando tiro para todos os lados, ou neste caso, gastando flechas em alvos que estarão me distraindo?”

Neste exato momento, sexta-feira 23 de março a 4 meses de completar 5.4 cabe a análise: “Minha mira está voltada para onde neste momento?”

Sei que não me contento em viver subordinada a um único assunto, não conseguiria ser o padrão de chegar às 8h e sair às 18h, sentar-me na mesma cadeira, falar dos mesmos assuntos. Fiz isto por um tempo e me deu um curto-circuito( rsrsrsrs)  ainda bem! Porém percebo que o gasto de energia ao ficar girando para todos os lados enfraquece minha energia, como escolher então? Como qualificar assuntos  ou alvos que sigam a um alvo maior?

Cabe a figura do guerreiro andando na planície, paramentado e com olhar afiado, silêncio, momento de introspecção, meditação e o ato permite,  preparado a disparar sua flecha que abrirá caminho no vácuo  riscando o ar, as ideias, o todo, e zaaaaaaaaaaaazzzz… chega lá no ponto esperado. Quanto treino para acertar o tão desejado alvo, confere?  Este arqueiro passou por diversos alvos, diversas distâncias até chegar no tão desejado. Seria o sucesso, a fama, o aplauso? Jamais! Certamente estará solitário e somente ele saberá da caminhada até o  alvo eleito.

Fonte da Imagem: Empreendedorismo Rosa

Fonte da Imagem: Empreendedorismo Rosa

Compreendo sim, não existe um único alvo, porém existem aqueles que vou acertando e fortalecendo a mira, sempre mais perto do objetivo. O incrível é que ele está sempre uma etapa a mais, uma caminhada a mais, uma parceria a mais. Cada um de nós tem o seu Master Alvo, composto de vários processos ou alvos  intermediários. No meu íntimo sei qual é o meu, mas sei que sem o fortalecimento contínuo e muita meditação eu não chego lá.

E a qual conclusão chegamos eu e meu arqueiro íntimo?

Criar um plano de estratégia com auto-conhecimento é fundamental, ser genuíno no meu querer e não embarcar em vibes aparentemente lucrativas, afinal lucro não é alvo, é resultado positivo de muita perseverança e trabalho. Assusto-me quando escuto jovens na casa dos 20 falando em ser concursado para ter estabilidade e aposentadoria! Começam pensando no fim???

Conclusão: Por enquanto, não existe uma uníssona resposta para mim que aqui eu vá revelar, estou no treino ainda, talvez tenha começado tarde, talvez cada etapa de vida tenha seu alvo maior, certamente não sou referência de empreendedora bem-sucedida, leia-se definição Google do que é ser bem-sucedido …:  Endinheirado; que se tornou rico; que possui uma situação financeira próspera; de vida financeiramente estável: ator bem-sucedido.

Porém, meu sucesso hoje é que tenho vontade de fazer acontecer, saúde , disposição e qualificação e continuo me aprimorando e focando o olhar na mira e quando vem aquele sopro divino inspirador no meu inconsciente eu posiciono o querer e zaaaaaaaaaaaaaazzzzzzzzzz!

E agora, para as mulheres que têm a sede de vislumbrar um alvo a atingir, vivenciarem a convivência de diversas experiências, empreenderem em seus destinos, dividirem dores e amores de suas caminhadas, venham para o Empreendedorismo Rosa e vocês entenderão o que estou falando.

A vida vai além de números, ela se faz de alianças e de uma rede que se faz presente no nosso dia a dia.

Feliz abril!

Fica minha dica para você saber mais sobre Empreendedorismo e Arco e Flecha:

 

 

Leia Mais

Empreendendo fora do Brasil: Uma empresária fiel a sua trajetória de vida

Por Rosani Erhart Schlabitz

Nossa correspondente na Alemanha, nos inspira com mais uma história empreendedora, de uma brasileira que faz acontecer por lá.  

A  brasileira Alexa Oliveira vive na Alemanha desde 1999. Em 2014, na fase em que o Brasil estava sendo o anfitrião da Copa do Mundo de Futebol, decidiu abrir uma loja de roupas e acessórios femininos  chamada -Alexa Jeans- em Berlim. Apostou muito na visibilidade positiva que o Brasil estava tendo nesta época e mostrou ao público latino-americano desta cidade os produtos de moda brasileiros.

A empresária  sempre gostou do mundo da moda, pois cresceu vendo o pai que era alfaiate desenhar e fabricar grandes modelos de roupas clássicas e sociais.  “Ele foi uma inspiração para mim, sinto que a moda  está no meu sangue e sempre disse que um dia teria minha loja. Hoje meu sonho está  realizado”, relata Alexa.

17270094_1398675286861559_1107876496_n

Na Alemanha é comum escutar que a maioria dos estrangeiros  que vem ao exterior acabam reinventado-se  profissionalmente. É difícil iniciar uma nova vida em outro pais como se este  fosse a extensão de sua vida do pais de origem. Existem muitos casos onde os profissionais de empresas vem transferidos, mas isso não acontece com quem é empreendedor. Para Alexa “ o  empreendedor tem que começar do zero mesmo,  aprender o idioma, a cultura e inserir-se na sociedade aos poucos. Fazemos parte de um grupo de pessoas que precisa procurar formas de sobreviver e através desta procura encontra nichos no mercado para aplicar seus talentos e fazer valer seus sonhos.” conta a empreendedora.

Sendo assim, Alexa fez um planejamento, colocou metas, focou nos seu valores e no que aprendeu  em casa com o exemplo de seu pai.  Trabalhou muito, com perseverança  e persistência. Tudo que deu errado foi considerado como aprendizado. Assumiu para si mesma que gostava mais de trabalhar com o público feminino e investiu na conquista deste público. Hoje ela recebe em sua loja brasileiras, cubanas, peruanas, russas, italianas e alemãs. São clientes que tem um perfil bem definido, querem e gostam de  produtos que valorizem o corpo. Uma das marcas mais vendidas são as calças Jeans da Pit Bull Jeans, Carpam Jeans, Raça Eleita Jeans. Além disso, os biquínis Focato moda praia, também tem muita procura. Sem esquecer o Boticário e Ana Hickmann.  Um pacote brasileiro completo,  só que dentro da Alemanha.

O sucesso da loja chegou em 2016 e com ele a ideia de unir um mercadinho de produtos alimentícios brasileiros, sugerido pelas próprias clientes.  O mercadinho atrai um público novo ao local. A mercadoria é 100% brasileira e conta com 300 produtos diferentes como: carne seca, tapioca, açaí , entre outros.  Mas o que tem mais saída são os salgadinhos feitos pela própria empresária juntamente com sua prima e gerente da loja, Rose Guimarães.

O grande diferencial de Alexa é que unido aos produtos brasileiros que oferece no exterior está o  tratamento especial que dá as  suas clientes. Ela fala que:  “Minha loja é uma sala de confidências. Muitas vezes é  uma reunião de auto-ajuda, onde as pessoas desabafam suas dificuldades. A vida no exterior ás vezes é bem difícil. Temos que apoiar uns aos outros. Por isso sempre recebo a todos com um sorriso – é minha arma mais poderosa e agora também ofereço os meus salgadinhos que deixam a todos mais felizes. Procuro incentivar  as mulheres a serem mais positivas, a terem fé e acreditar que Deus cuidará de tudo. Isso reforça a fé delas e a minha”, encerra a empresária Intercultural.

As palavras que definem Alexa Oliveira  são:

  • Gratidão ao meu marido.
  • Gratidão por ter tido perseverança.
  • Gratidão por ter sido dedicada.
  • Gratidão por terem confiado em mim.

 

 

Leia Mais

Mulheres e a administração do tempo

Por Tereza Karam

É lenda? Ou nós mulheres conseguimos mesmo fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Tá na boca do povo! Somos polivalentes, exercemos vários papéis e conseguimos “assobiar e chupar cana”. É para nos envaidecer, certo? Não tenho tanta certeza assim!

Minha caminhada como mulher, psicóloga e coach tem me mostrado que apesar de fazermos várias coisas ao mesmo tempo, a exaustão chega para nós tanto quanto para os homens. Os dados estatísticos da medicina, tem mostrado o surgimento de doenças antes eminentemente masculinas, transitando no universo feminino.

Será que fazemos muitas coisas ao mesmo tempo e somos chamadas de multitask ou multitarefas por teimosia? Porque queremos provar algo para alguém? Porque precisamos provar coisas para nós mesmas?

Na verdade, existe uma explicação científica para este comportamento que tem incomodado tanto os homens quando se comparam à nós.

Fonte da Imagem Pinterest

Fonte da Imagem Pinterest

Somos monotask como eles, e ficamos exaustas como eles, quando fazemos várias coisas ao mesmo tempo, mas nosso funcionamento cerebral é diferente na espessura do corpo caloso.

Vamos às explicações!

  • O corpo caloso faz a ligação entre os dois hemisférios cerebrais.
  • Na mulher ele é mais espesso, pois para de diminuir com a chegada da menstruação.
  • Por ser mais espesso, estabelece a comunicação mais rápida entre os dois hemisférios.
  • Um dos hemisférios é o responsável pelas funções psicológicas superiores: raciocínio lógico matemático, memória…
  • O outro é o hemisfério mais criativo.

Por conta desta morfologia, quando aparece algum problema ou quando somos estimuladas com muitas informações, acessamos os dois lados do cérebro – o mais racional e o mais criativo –  e achamos soluções mais rapidamente. Daí parecermos multitarefas, mas não somos. Precisamos tanto quanto os homens de FOCO.

Isto mesmo! Se você quer ser produtiva durante seu dia e chegar à noite feliz, precisa manter o FOCO. A melhor estratégia, é o planejamento das atividades utilizando seu fluxo de energia.

Período de maior disposição? Desligue-se do mundo e mantenha o foco naquilo que está fazendo sem interrupções.

Hora de relaxar? Desligue-se do mundo e curta seu momento!

Está interagindo socialmente? Conecte-se às pessoas!

Mas… apareceu uma urgência? Libere-se para acelerar as conexões sinápticas entre os dois hemisférios e mostre ao mundo a sua polivalência.

 

EM TEMPO:Quer fazer parte do workshop Tríade: Personalidade, Espaço e Tempo, então a hora é agora, inscreva-se aqui e garanta sua vaga: https://www.sympla.com.br/workshop-a-triade-personalidade-espaco-e-tempo__125409

 

 

Leia Mais

5 Dicas de Etiqueta Digital

Por Graziela Mascarello Boff

Hoje temos dicas preciosas de nossa consultora e empreendedora em comércio eletrônico

Você sabe o que é etiqueta digital? É fácil de deduzir: são regras e etiquetas a serem seguidas na internet, especialmente dentro das mídias sociais.

Quando diz respeito a assuntos pessoais conseguimos lidar com mais tranquilidade por ser mais intuitivo, mas o problema surge no âmbito empresarial.

 

Fonte da Imagem:  Image Broker

                                        Fonte da Imagem: Image Broker

Estamos em uma era em que existem dois mundos, o presencial e o virtual, e cada um deles têm suas próprias regras de boa convivência. No mundo presencial aprendemos desde pequenas, etiquetas de boa convivência com os mais velhos, mas no mundo virtual não tivemos esse ensinamento e os papéis se inverteram. Os mais novos entendem muito mais de etiqueta virtual, e muitas vezes ficamos perdidas, sem saber como devemos agir, por isso seguem algumas dicas:

1- Nunca colocar pessoa em grupo de Whatsapp e facebook sem perguntar se estão interessadas. E fazer grupo só se realmente ele fizer sentido.

2-SPAM: já é um nome feio, só mande conteúdo e propaganda se a pessoa permitir.

3-Prestigie o negócio online de seus amigos, curta, comente, pergunte, de importância ao trabalho de seus amigos, às vezes esse post demorou um dia todo para ser criado.

4 – Cuidado com as palavras, depois de ditas não voltam mais, então nunca diga algo que soe como racismo, homofobia, fanatismo de qualquer natureza, xenofobia ou intolerância religiosa.

5 – Use emoijs para falar com seus clientes, está liberado, pois foi comprovado que é uma forma simpática de interagir, mas cuidado como o corretor automático, pois ele pode distorcer a mensagem e causar mal entendidos.

Aos poucos vamos incorporando esse comportamento virtual no nosso dia a dia e ele  ficará natural, fazendo com que o relacionamento com nossos clientes, fique cada vez melhor.

 

Leia Mais

Dê um BASTA ao impostor que habita em você

Por Lênia Luz

O mês de março foi intenso por aqui por ser o mês dedicado a tantas celebrações dedicadas às mulheres e, com isso, ser um mês de muitas pROSAS empoderadoras por aí, por aqui.

Nestas andanças, o que mais ouvi após minhas falas, é sobre um “tal de impostor” que anda empacando a vida de mulheres que já fazem acontecer na vida e nos negócios, mas que ainda não se validam como tal. Vale lembrar aqui que são mulheres de todas as idades, formações e histórias. Portanto, o que me chamou a atenção é que definitivamente ainda temos uma cultura (externa e interna), que diz NÃO a nós e SIM aos outros.

Para continuar a ler este texto, clique AQUI e aumente o som, esta música embalará a nossa pROSA, afinal “I want to see you be brave” . 

 

 

Fonte da imagem: Graziela Mascarello Boff

Fonte da imagem: Graziela Mascarello Boff

Pois hoje quero lhe desafiar a dar um basta a este impostor. Para tal, é preciso que você o identifique primeiro e trago aqui algumas das “falas” com que ele nos ataca:

  • Quando ouvir palavras duras, rudes e com um grau de maldade, que você jamais diria a alguém, ele está em ação.
  • Quando vier a sua mente uma duplicidade de papéis, como “sou uma maravilhosa mãe, sou uma péssima mãe”, “sou uma profissional fodástica, sou uma profissional medíocre” e assim por diante, saiba é o impostor querendo te boicotar.
  • Quando estiver a frente de um projeto, seja pessoal ou profissional e ouvir “você ainda não está pronta, vá se preparar antes” ou “você vai acabar com sua carreira se aceitar este projeto, você não tem  habilidades para tal desafio.” Eis a síndrome te atacando de novo.
  • Quando ouvir “você não é boa em negociação, em tecnologia, em cálculos” desista, eis mais um ataque gerado pela cultura que diz que somente homens tem habilidade e potencialidades para estas demandas.
  • Quando escuta “você está magra demais”, “está gorda demais”, “é velha demais”, “é jovem demais”, mais uma vez é o impostor te provocando em relação ao perfeccionismo de seu aspecto físico.
  • Quando escuta falas exteriores na forma de seus pais, chefes, professores, filhos, marido, “amigas” , experiências religiosas, educacionais ou profissionais, lá está o impostor trazendo as críticas da vida real, para minar seu crescimento.
  • Por fim, quando pensa que já superou algumas destas falas acima, ou qualquer outra, ela volta como fosse aquela goteira que não tem fim, lembrando que “você não é capaz”.

Se identificou com algum dos pontos acima? Se sim, o próximo passo agora é lidar com o impostor da seguinte forma: Identifique de onde ele vem e o nomeie pelo que ele é; com isso a cada ataque diga-lhe: “Não, muito obrigada. Não aceito suas sugestões sobre tal situação, pois sei que tenho capacidade e potencialidades para viver este acontecimento.” Aperte a tecla F do FODA-SE e faça acontecer.

Falando assim, parece muito simples, não é mesmo? Eu sei que não é, tem dias que a gente acaba acolhendo o impostor, ao invés de mandá-lo passear. Por isso é muito importante que busque ajuda de outras mulheres para que, ao identificar que está sendo “atacada” novamente por ele, você saiba se posicionar e seguir confiante com seus propósitos.

Eu também sofro ataques desta síndrome, ainda mais no trabalho que desenvolvo com e para mulheres, por este motivo fui buscar uma maneira que me ajudasse quando passo por tal situação. Iniciei uma atividade que tem me dado um alto grau de empoderamento para afastar o impostor de minha vida. Estou fazendo aulas de Arco e Flecha Intuitivo, na Vedana Arte e Flecha, e neste tempo que tiro para mim, foco naquilo que sei que não sou, fortaleço aquilo que sou e coloco como meta aprimorar o que ainda preciso.

Por isso, mais um desafio que te dou é que procure alguma atividade física, artística, artesanal, para que assim fortaleça o olhar positivo sobre você mesma.

Lembre que a síndrome do impostor, pode se tornar uma voz dominante em sua vida. Mas ela definitivamente não é a sua essência. Sua  essência é formada por suas habilidades, beleza, talentos, capacidades de amar e ser amada, à sua maneira, com sua SINGULARIDADE.

Convido você a tomar posse da podeROSA Mulher que você é e seguir em frente com seus sonhos e propósitos, na vida pessoal e profissional.

Aqui no Empreendedorismo Rosa temos dois programas onde abordamos de maneira muito direta a síndrome do impostor. São o Lean In Circle Empreendedorismo Rosa, que terá nova turma regular sendo iniciada no próximo dia 10.04 e uma imersão no feriado do dia 21/04. E temos ainda a Confraria ROSA, que vem empoderando mulheres através da troca continuada na vida e nos negócios.

Se desejar fazer parte destes programas mande um email para lenia@empreendedorismorosa.com.br, e terei imenso prazer em respondê-la e acolhê-la entre nós.

Feliz ABRIL!

Leia Mais

Empreender é ser uma versão beta todos os dias

Por Cássia Gomes

Dia desses ouvi alguém dizer que a vida é uma versão beta. Como assim? Eu explico. Trocando em miúdos versão beta é o nome dado a fase de um produto em desenvolvimento, mas que é considerado aceitável para ser lançado ao público em uma versão de teste. Hum…Veja bem!
Num primeiro momento me recusei a concordar porque pensei nessa minha nova jornada, agora de mãe, esposa, profissional, com mil coisas para fazer durante o dia, sem tempo para experimentações. Preciso ser assertiva… na maioria das vezes. Será?

 

Fonte da Imagem: Cida Demarchi

Fonte da Imagem: Cida Demarchi

Era tarde da noite, entrei no quarto do pequeno que estava em sono profundo, recuei para não acordá-lo. Depois já no meu quarto desejei boa noite para o marido, deitei e voltei a pensar no assunto. Concordei. A minha, a nossa vida, é sim uma versão inacabada. Perceba:
• Buscamos com frequência algo que nos permita melhorar a nossa vida pessoal e profissional.
• Queremos normalmente dar um upgrade na aparência, mudar o cabelo, emagrecer, usar um acessório diferente.
• Testamos receitas na cozinha.
• Trocamos a pintura de uma parede, a decoração de uma sala.
• Experimentamos caminhos diferentes na volta pra casa.
• Mudamos de ideia quando somos convencidos pelo argumento de outra pessoa.
• Sentimos sensações novas a cada amanhecer.

E por aí vai. Mudamos, testamos, o tempo todo, a todo tempo.

Ufa, parece óbvio, mas para mim essa constatação fez todo sentido, porque tenho uma ideia para empreender que está ganhando corpo, e no meio do caminho encontrei o Empreendedorismo Rosa, um lugar frequentado por mulheres incríveis, donas do seu negócio. O pouco que observei nas trocas de experiências que rola na Confraria Rosa, notei que mesmo com seus empreendimentos indo de vento em popa, acho que elas se permitem uma “mentalidade empreendedora em versão de testes”. Elas são motivadas a testar, experimentar, fazer o novo de forma diferente. E olha que legal, cada uma a sua maneira, direta ou indiretamente, elas contribuem para a criação de novas ideias ou de soluções para diferentes desafios, uma da outra. Uau! Me senti confiante.

Resumo da ópera, sou uma aspirante a empreendedora versão beta. E ao vivenciar o empreendedorismo feminino na Confraria do Empreendedorismo Rosa, entendi que empreender vai além de ter o próprio negócio, mas é a capacidade de se reinventar, de inovar, de buscar soluções independente da situação, é ter atitude, auto liderança, perspectiva, ser resiliente, é estar aberta constantemente à novas possibilidades, é estar sujeito a mudanças. Empreender é permitir ser uma versão beta todos os dias.

*Cássia Gomes é formada em comunicação social, atriz, mãe, esposa, alto astral. Aspirante a empreendedora.Gosta de um bom papo e de escrever com alma e coração. E além de tudo isso, ainda nos INSPIRA.

Leia Mais