Sinta-se se bem com seu dinheiro!

Por Kelly Maruza

No mundo atual, tempo e dinheiro parecem ser os maiores objetos de “desejo” das pessoas. Ambos são escassos, desperdiçados e gastos na busca das
necessidades para proporcionar alegrias e prazeres da vida.

Fonte da Image: FESOFAP

Fonte da Image: FESOFAP

Isso nos colocar para pensara pensar….

O que é atualmente ou realmente mais importante:
 Ter tempo para aproveitar o que se ganha?
 Ou ganhar dinheiro para depois aproveitar? ”

Dentro desta proposta que falarei  do nosso “dinheiro”e a nossa relação de dor e prazer com ele!

Te espero no “Pausa podeROSA: Um tempo para mim”,  no próximo sábado. Inscreva-se: https://www.sympla.com.br/pausa-poderosa-um-tempo-para-mim–outubro-rosa__192001

Leia Mais

Pare de correr riscos: organize seus ganhos e gastos!

Por Empreendedorismo Rosa 

 

Ter uma vida financeira organizada, saber quanto entra e quanto sai da conta, ter uma base financeira como reserva e poder se programar para gastos com viagens e cursos não é utopia nem mesmo uma missão impossível.

Quantas noites de sono são perdidas desnecessariamente devido uma vida financeira desastrosa e falta de controle de ganhos e gastos?

No evento Eu Feliz – 2º Edição você terá acesso às experiências, dicas e conhecimento da médica reumatologista,Vivian Botelho Coginotti , para parar de correr riscos com suas finanç`s psskais, iniciar um planejamento financeiro e definitivamente realizar aquele sonho tão esperado!

Inscreva-se: https://www.sympla.com.br/eu-feliz—2a-edicao__182875 e vem ser FELIZ com a gente!

 

Fonte da Imagem : Paula Soares

Fonte da Imagem : Paula Soares

 

Leia Mais

Saiba o que é DRE e cuide da saúde financeira de seu empreendimento

Por Empreendedorismo Rosa

 

O meio empresarial é cheio de detalhes que denotam grande importância para o andamento de um negócio. Existem regras que não podem ser desrespeitadas nem um minuto sequer, e para controlar a saúde empresarial, existe o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE).

O nome parece explicar um pouco sobre qual a finalidade, mas muita gente ainda tem dúvidas do que o DRE trata realmente. Pois bem, um empresário precisa estar ciente sobre a situação de seu empreendimento: se há lucro ou prejuízo.

 

Fonte da Imagem: Google

Fonte da Imagem: Google

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O DRE é um relatório destinado a sintetizar o cenário em que se encontram as atividades operacionais e não operacionais. Embora o demonstrativo seja designado como uma síntese, as informações nele contidas contam com muitos detalhes e não se referem somente à questão das análises contábeis, como muitos pensam. O DRE funciona como um raio-X das empresas.

Ele também auxilia na avaliação do desempenho geral da empresa e na análise de eficiência dos gestores em obter resultado positivo em suas áreas. Tudo isso porque não basta somente o empreendedor ficar por dentro da questão das finanças, mas também com o desempenho da gestão dos gerentes, uma vez que esse detalhe reflete muito na vida da empresa.Outra informação sobre o DRE é que a interpretação desse modelo de relatório é fácil até mesmo para aqueles  que não pertencem à área financeira, o que explica sua abrangência além da área contábil. O DRE é formado de maneira lógica e sequencial e é útil para todos os assuntos referentes à vida empresarial.

Os dados contidos no relatório têm tanta importância que podem ser usados até mesmo para tomadas de decisões bem sérias. Por isso o seu acesso é tão requerido pelos administradores e gestores diversos, pois através do DRE a situação da empresa estará completamente detalhada e pronta para ser estudada a fim de melhorar os pontos críticos e manter aqueles que atingiram êxitos.

Uma DRE gerencial, ou seja, aquela que não é feito pelo contador, deve conter basicamente Receitas, sejam elas operacionais ou não operacionais como a receita financeira. Despesas de qualquer natureza, com nota fiscal ou sem nota fiscal e lucro operacional. Não se pode esquecer dos impostos pagos e das despesas financeiras, muitas vezes a sua empresa não possui um empréstimo mas ela paga taxas aos bancos e isso tem que ser colocado na conta.

Quer saber mais sobre esta ferramenta de gestão contábil? Venha para nosso workshop com o consultor de franquias e varejo, Marcio Tadeu Aurelio, da Aurelio Luz Franchising & Varejo, no próximo dia 22/08.

Inscreva-se: https://www.sympla.com.br/decifrando-o-dre-com-o-consultor-marcio-tadeu-aurelio__170469

 

Leia Mais

Aprendendo a cuidar das finanças

Por Leonardo Grisotto

Em meio à crise econômica que assola o país desde o ano passado, a busca por especializações na área financeira vem crescendo gradativamente. A fim de dominarem melhor as técnicas e ferramentas, empresas vêm buscando entender melhor este universo, e os cursos de gestão financeira podem ser uma boa saída.

Fluxo de caixa, patrimônio líquido, livro razão e balancete são apenas alguns dos termos que podem deixar algumas pessoas de cabelo em pé. No entanto, para quem tem uma empresa ou pretende abrir uma, essa é apenas uma pequena parte de uma longa lista de expressões que devem ser conhecidas não só na teoria, mas principalmente na prática. Buscando entender melhor não só as expressões como também as dinâmicas que envolvem o dia a dia de uma organização, empresários e empreendedores vem optando por fazer algo que todos deveriam fazer: estudar. Os cursos de gestão financeira vêm crescendo no país, e diante do cenário econômico atual, se mostram um excelente investimento para quem deseja aprender a gerir melhor os seus negócios.

 

Fonte da Imagem: Google

Fonte da Imagem: Google

Quem se preparou há alguns anos atrás agora atravessa a crise com mais tranquilidade. Nesse sentido, a preparação tem a ver com conhecer muito bem o fluxo de caixa da empresa, pois nesses momentos o que mais falta é dinheiro em caixa. Ao se deparar com uma situação crítica elas precisam, literalmente, correr atrás do prejuízo e isso significa muitas vezes buscar qualificação e entender melhor os conceitos financeiros que estão presentes no dia a dia das empresas.

Durante as aulas a maioria das dúvidas que surgem são com relação à estruturação de ferramentas e processos, e também com relação aos principais indicadores de saúde financeira. Uma dica que costumo dar aos meus alunos é aprender a controlar melhor todas as entradas e saídas de dinheiro da empresa (o fluxo de caixa) e seu capital de giro.

Para quem está no negativo, o trabalho será mais árduo: é necessário um planejamento conjunto que envolve conhecer bem os números, analisar as margens dos produtos e serviços, bem como volume de vendas e conhecimento sobre as prioridades de pagamentos. Só assim a empresa poderá sair do vermelho e voltar a dar lucro aos seus gestores.

Leia Mais

4 Recomendações para Empreendedoras podeRosas

Por Leonardo Pansardi Grisotto

Release profissional:

Empreender no Brasil é tarefa para poucos. Segundo o IBGE, os proprietários de empresas representam apenas 3,7% da população. Para ajudar as empreendedoras nessa difícil jornada, seguem algumas recomendações baseadas nas melhores práticas na gestão de empresas:

Planejamento

Há anos o Sebrae aponta a falta de planejamento (estratégico) como uma das principais causas de falência das empresas no Brasil. É preciso responder questões como: Qual é o nosso foco? Quem é o público-alvo? Quanto será minha margem? Quantas pessoas preciso na equipe? A demanda é real ou só está na minha cabeça? Onde queremos chegar? E por aí vai. Planejar é questionar. Questione tudo em seu negócio e busque melhorar sempre, em todas as áreas, não apenas naquela em que você é expert.

Fonte da imagem: Corbis


Liderança

Uma líder precisa cuidar da sua equipe. As pessoas trabalham em uma empresa porque eles querem fazer a diferença e saber que elas são importantes no processo. O lucro é consequência. É assim que uma companhia cresce.

Organização

Uma empresa organizada possui um sistema de gestão e processos bem definidos, que é a forma de se operar, o modus operandi, são as regras do negócio bem definidas e claras para toda a equipe. Aqui estamos falando de todos os processos, sejam eles financeiros, RH, marketing ou operacional. Todos, sem exceção, precisam ser mapeados a fim de se organizar a empresa.

Controles

Controle seu negócio. Você só conseguirá gerenciar o que conseguir medir. Controle os números críticos, sejam eles volume de vendas, margem de produtos, turnover ou geração de caixa. Crie indicadores e acompanhe-os ao longo dos meses. Isso é fundamental pra você saber onde está e se está indo na direção certa ou não!

Essas 4 recomendações formam a base pra gestão de qualquer negócio, em qualquer segmento da economia. A falta deles é justamente o ponto crítico que leva diversas empresas à falência, conforme as estatísticas. E reforçando esses pontos, como diria Jorge Paulo Lemann: “A gente só tem um truque, que é colocar gente boa e nosso sistema de gestão para mudar o resultado de uma empresa”.

Leia Mais

Empreendimentos que atendem necessidades básicas da população são os que mais devem crescer em 2017.

Por Leonardo Grisotto

Crise econômica, aumento do desemprego e redução de crédito redefinem prioridades populares

Que 2016 foi um ano difícil todo mundo sabe, e o comércio foi um dos mais afetados pela crise. Uma pesquisa realizada pelo Serasa Experian mostra que o setor de varejo teve seu pior resultado desde o ano 2000. O que muitos não sabem é que os empreendimentos que atendem necessidades básicas da população são os que mais devem crescer em 2017.

Um levantamento realizado pelo Sebrae avaliou o comportamento da economia brasileira, bem como o perfil das novas empresas abertas no país e concluiu que 2017 será um ano promissor para a área de serviços. Mesmo com a crise, a população não deixará de consumir, no entanto está reavaliando suas prioridades e optando por gastos menos supérfluos – o reparo de produtos, por exemplo, substitui a compra de novos modelos, o que engloba desde eletrodomésticos e roupas até veículos. Diante dessa nova realidade de mercado, empresários devem reavaliar sua oferta, se conectar melhor com a demanda, oferecer valor e reduzir custos desnecessários, não valorizados pelo cliente.

Ainda de acordo com o Serasa, as empresas que oferecem serviços e produtos que prometem reduzir custos operacionais também devem prosperar neste ano. Entre os setores mais promissores estão o de alimentação, saúde, construção, produtos inovadores (aqueles que permitem aumentar a eficiência e produtividade, por exemplo), estética e beleza, serviços especializados (comunicação, gestão empresarial) e de reparo e manutenção.

Mesmo diante de um cenário de incertezas políticas e econômicas, há queda de inflação e um governo tentando acalmar os ânimos do mercado. O mais importante e vital para a saúde financeira de uma empresa nos dias atuais é rever seu posicionamento, enxugar ineficiências, melhorar a produtividade e focar no nicho que melhor se adequa ao seu produto: em tempos conturbados o ideal é ser excelente em poucas coisas.

Leia Mais