Mulheres que fazem Acontecer

Por Empreendedorismo Rosa

Com muita alegria compartilhamos que nossa parceira, Elaine Magnan, fundadora da marca Elegance Lingerie, parceira do Empreendedorismo Rosa há 3 anos, recebeu o prêmio “Mulheres que fazem Acontecer”.

A Revista Polo de Guaporé através de seu editor responsável Tamar Peretti, realizou na noite de 6 de dezembro, sob um pôr do sol espetacular, na linda vinícola Don Abel, em Casca, o evento “Mulheres que fazem Acontecer”. O objetivo foi destacar um grupo de mulheres da região que fazem a diferença em suas atividades profissionais e comunidades em que atuam. Através da percepção e indicações de pessoas influentes na comunidade, foi selecionado um grupo de 20 mulheres de Guaporé, Casca e cidades próximas, para uma noite festiva, contemplando-as com o Troféu MULHERES QUE FAZEM ACONTECER.

Elaine, é uma das pioneiras de uma indústria que transformou Guaporé. E que transformou também a vida de muitas mulheres que passaram a acreditar em si mesmas, pelo trabalho constante de valorização da beleza, feminilidade, capacidade e empreendedorismo feminino, por peças tão pequeninas e com tanto valor simbólico: as lingeries. Peças que trazem amor próprio, valorização, sedução e força. Assim, refletindo o espírito desta mulher poderosa surgiu uma das marcas mais sólidas e reconhecidas no município, a Elegance.

15442363_913753382094188_9190207742056144605_n

 

Eliane Magnan é Diretora Presidente da Elegance Lingeries, de personalidade forte desde criança, começou a trabalhar muito cedo, com 13 anos, pois o que mais buscava era ser uma mulher independente, em todos os sentidos. Filha de agricultores, esta gaúcha de Guaporé, aos 17 anos montou seu primeiro negócio, com muita coragem e determinação. Seu propósito, na época, era custear seu estudo universitário, sem imaginar que seria uma empresária de credibilidade e sucesso, como é atualmente.

Formou-se em administração de empresas, fazendo ainda MBA em Moda e Varejo e em Identidade Empresarial. Em 1993, abriu as portas da Elegance, com a proposta de ser uma marca muito próxima de suas consumidoras. No início, a produção era apenas de 500 peças por mês. Em três anos, saltou para a confecção de seis mil peças mensais. Hoje, com a implementação de um projeto arquitetônico moderno, a unidade fabril da empresa produz cerca de 100 mil peças/mês. Os produtos Elegance estão em mais de 500 pontos de venda espalhados pelo Brasil e pelo mundo (Estados Unidos, Chile, Colômbia, Argentina, Portugal, Japão e Nova Zelândia).  A Elegance, no mercado há 23 anos, entrou para o franchising em 2014, e já conta com quatro unidades, sendo uma própria e três franqueadas, prevendo ainda a abertura de 55 novas unidades franqueadas nos próximos cinco anos.

ELIANE MAGNAN, É UMA MULHER QUE FAZ ACONTECER!

Leia Mais

Franquias e Mulheres: Parceria de sucesso!

Por Marcio Tadeu Aurelio

Em 2016, mais uma vez as franquias foram muito bem!

Como vem acontecendo há mais de uma década, o faturamento das franquias brasileiras vem crescendo ano após ano bem acima do PIB nacional. Dados estatísticos preliminares divulgados pela ABF – Associação Brasileira de Franchising, ABRASCE – Associação Brasileira de Shoppings Centers e FDC – Fundação Dom Cabral indicam que o faturamento das redes de franquia  em 2017, terá um crescimento em torno de 7% sobre o ano de 2016.  Isto é apenas um dos números que mostra a grande força do franchising na economia nacional.

Fonte da Imagem: Mundo das Franquias

Outro grande destaque é a força crescente do franchising feminino. Isso mesmo! As mulheres já representam 48% dos franqueados no Brasil e as unidades franqueadas administradas por mulheres chegam a ter um faturamento até 35% mais alto do que aquelas sob o comando masculino. Isso se deve a características intrínsecas femininas, como serem mais detalhistas, atentas e seguirem regras do que os homens.

O segmento com o maior número de franqueadas é o de saúde, estética e beleza. E no franchising como um todo, os segmentos que mais atraíram interessados em abrir franquias foram os de alimentação (que historicamente vive se reinventando) e o de vestuário.

De uma maneira geral as mulheres que buscam empreender no mundo das franquias têm entre 36 e 45 anos e a grande maioria dispõe entre R$ 50 mil e R$ 150 mil. São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são, pela ordem, os Estados com o maior número de marcas que buscam expandir através de franquias.Em 2016 foram abertas praticamente 40 franquias por dia no Brasil, um número bastante expressivo, que gerou mais de 1 milhão de empregos diretos.

E o que esperar para 2017? Historicamente, mesmo em anos de incerteza econômica o franchising vem se firmando como uma excelente alternativa, devido a seu risco relativamente baixo em relação a negócios independentes, a uma legislação específica consolidada e por ser uma rede de aprendizado contínuo, onde prevalece a política do ganha-ganha.

Venha você também para o maravilhosos Mundo das Franquias!

Leia Mais

Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino

Por Empreendedorismo Rosa

Hoje, dia 19.11.2016, nós, mulheres empreendedoras temos mais um motivo para celebrar. Com o intuito de apoiar, empoderar e inspirar mulheres e a todos que se dedicam a tornar o mundo um lugar melhor para as mulheres e meninas, a ONU lançou em 2014, o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino em Nova York. Dentro da página oficial do  Womens Day você poderá conhecer mais sobre este projeto mundial.

Nós, do Empreendedorismo Rosa, inspiramos, realizamos e empreendemos e dentro desta proposta temos apoiado muitas mulheres em suas caminhadas empreendedoras. Através de nosso conteúdo, construído de maneira especial e exclusiva por nossos colunistas, buscamos inspirar, informar e motivar mais e mais o empreendedorismo em nosso País. Com ações presenciais fomentamos o networking, o crescimento e nascimento de novos empreendimentos e com isso o empoderamento feminino se fortalece nesta cosntrução de rede de negócios e também solidária, entre mulheres que se ajudam mutuamente.

 

Fonte da Imagem: Paula Soares

                                                                                                                   Fonte da Imagem: Paula Soares

Veja o perfil da pesquisa que apoiamos,  realizada com mais de 1300 mulheres em todo território nacional e patrocinada pelas empresas AVON, ITAÚ e FACEBOOK, com organização da RME.

A pesquisa, além de desvendar o perfil dessa mulher que empreende no Brasil, traz um panorama real do que elas enfrentam quando decidem empreender, seus conflitos diários, a maternidade versus a carreira, o momento financeiro e principalmente as dificuldades que a empreendedora brasileira enfrenta quando decide ter seu próprio negócio.

A amostra da pesquisa quantitativa é de 1376 mulheres sendo que 85% já empreendem e 15% pensam em empreender, e abrange uma boa representatividade:  São Paulo Capital e região metropolitana – 19,65% MG + ES + interior de São Paulo –  22,33%, Região Sul – 20,23%, Estado do RJ – 12,21% Regiões Norte, Nordeste, Centro- Oeste 22,33%

PERFIL: 79% tem superior completo ou mais, 39,1 anos é a média de idade. A maioria é casada, com filhos e apresentam um grau de escolaridade um pouco maior do que as que planejam empreender e que tem média 36,5 anos, sendo que 30% pertence a Classe C, enquanto 35% das mais velhas pertencem a classe A.

MATERNIDADE: Um dado já sentido pelo mercado, mas que ainda não era comprovado: 75% das empreendedoras decidem empreender após a maternidade. Na classe C, a porcentagem aumenta para 83%.

O QUE MAIS COMPROMETE A RENDA: O MAIOR GASTO entre 37% das pesquisadas é com moradia, seguido de alimentação (24%) e de dívidas (15%). Mas isso muda quando analisada a classe social: na classe A, o maior gasto é com Educação, chegando ao comprometimento de 14%.

REDE DE APOIO DA EMPREENDEDORA: Na hora da divisão ou “ajuda” nas tarefas domésticas e cuidado dos filhos, a maioria das empreendedoras conta com o apoio do marido, familiares. Na Classe C, as redes de apoio são menores. Outra constatação, conforme os filhos crescem elas passam a fazer mais tarefas sozinhas.

TEMPO DO NEGÓCIO –  42% iniciou seu negócio há menos de 3 anos e 39% tem mais de 6 anos.

SETOR DE ATUAÇÃO:  quanto mais alta a classe social, maior a concentração de Serviços, que desponta com 59%, seguido do comércio (31%), e Indústria (7%).

SOCIEDADE:  55% não tem sócios, e quando tem é mais comum sociedade em partes iguais. Amigos, maridos ou outro familiar são os sócios mais comuns das empreendedoras.

HOME OFFICE: 68% costuma trabalhar mais em casa.

FATURAMENTO: 33% das empreendedoras faturam mais de R$10.000,00 por mês enquanto 36% faturam até R$2500,00 por mês.

PONTAPÉ INICIAL: 41% iniciaram seu empreendimento sem capital, 41% usaram Poupança, investimento próprio e rescisão após ser demitida como principal fonte de capital que contaram para iniciar seu do negócio.

PREPARO PARA O NEGÓCIO:  maioria das que já empreendem, 75% se sente preparada para ter o seu próprio negócio. Já entre as que planejam empreender, 50% se sentem preparadas.

RAZÕES PARA EMPREENDER: entre elas predominam as razões emocionais, já que 66% diz trabalhar com o que gosta enquanto 34% diz que empreender é realizar um sonho. Ter Flexibilidade de horáriofica com 52% das respostas e 40% procura por uma renda melhor do que trabalhando para outros.

PONTO DE ATENÇÃO: 33% fazem O CONTROLE FINANCEIRO de modo básico, criam planilha de excel ou até anotam em um caderno.  33% fazem algum controle de modo mais elaborado, mas 14% não fazem controle nenhum.

CONFIANÇA: Mesmo com todo o discurso negativo da crise atual do país, os negócios de mais da metade (63%) das empreendedoras está melhor do que há 3 anos. E elas acham que irão melhorar mais ainda nos próximos 3 anos!

QUEREM SABER MAIS: Finanças, planejamento da empresa, formação de preço, mkt/comunicação e vendas/negociação são as áreas que querem saber mais. Ou seja, querem planejar, definir preço, divulgar e vender.

ONDE BUSCAM INFORMAÇÕES:  70% buscam informações principalmente nas redes de empreendedorismo, 68% nas palestras gratuitas

NETWORKING: Sim, elas fazem! 31%  delas vão a eventos, palestras e encontro de empreendedoras. Tomam conhecimento dos eventos pelas redes sociais (FACEBOOK), boca a boca e sites.

O que vemos é que  alguns aspectos melhoraram no Brasil nos últimos 2 anos. Houve um aumento na porcentagem de mulheres com maior nível de estudo e também no de negócios com potencial alto de crescimento – chamados de “business gazelles”. Cresce no  Brasil, o número de mulheres que querem ter o seu próprio negócio. Das cerca de seis milhões de micro e pequenas empresas existentes, 35% são lideradas por mulheres. No entanto, entre os novos negócios, a participação das mulheres chega a 49,6%, segundo dados do Sebrae. Outro dado que nos deixa muito motivadas é sabermos que negócios liderados por mulheres possuem uma taxa de sobrevivência maior.

Nossas habilidades somadas ao nosso desejo de fazer acontecer, vem fazendo diferença no mundo. E como presente, para você, que nos acompanha compartilhamos  um documento criado pelo Empreendedorismo Rosa em 2012 e que faz todo sentido após os nossos 4 anos de vida e muito empreender.

Compartilhe com outras mulheres os 10 Princípios da Mulher Empreendedora, segundo o Empreendedorismo Rosa, e faça a diferença onde você está!

Fonte da Imagem : Empreendedorismo Rosa

Leia Mais

Quem empreende apoia o Outubro Rosa

Por Empreendedorismo Rosa

 

Parceira da mulher em todos os momentos, no Outubro Rosa, mês de prevenção do câncer de mama, a marca de moda íntima gaúcha Elegance realiza ações especiais em prol à causa em Guaporé, município sede da empresa, e nas lojas em Porto Alegre. As instituições beneficiadas esse ano serão as Ligas de Combate ao Câncer das respectivas cidades.
Em Porto Alegre, 15% das vendas de sutiãs durante os sábados de outubro serão revertidas à Liga de Combate ao Câncer da capital. Já em Guaporé, será realizado o Bazar Rosa com vendas de produtos de outlet. A ação será coordenada por funcionários voluntários em 4 bairros da cidade. O valor de 50% das vendas, será revertido para a Liga de Combate ao Câncer de Guaporé.
Bairro São Cristovão – 8/10 – a partir das 13h30 – Salão Comunitário
Bairro Pinheirinho – 15/10 – a partir das 13h30 – Salão Comunitário
Bairro Bom Jesus- 22/10 – a partir das 13h30 – Salão Comunitário
Bairro São José – 29/10 – a partir das 13h30 – Salão Comunitário

14449819_1139731872770884_6105067014701472923_n

Há cinco anos a Elegance já apoia a causa da prevenção do câncer de mama de forma ativa, engajando pessoas e revertendo valores para instituições atuantes na causa. “Somos uma empresa feminina, temos como missão apoiar as mulheres em todos os momentos de vida. O engajamento envolve a todos da Elegance e por isso desde o ano passado estamos imbuídos em avançar nesse sentido, tiramos da gaveta um sonho antigo da marca: desenvolver um sutiã para mulheres mastectomizadas. O desafio é grande e está apenas iniciando”, destaca a sócia-presidente Eliane Magnam. O projeto de desenvolvimento de sutiã para mulheres mastectomizadas envolve entidades acadêmica e do terceiro setor e está em fase inicial, com previsão de lançamento para 2017.

Sobre Elegance

Quem você quer ser hoje? Antenada, Romântica, Prática, Poderosa? Com a Elegance a mulher pode ser todas e quando quiser. Esse é o propósito da marca gaúcha, que há 23 anos apoia as mulheres em suas decisões e em todos os seus momentos de vida.
Especializada em moda íntima, em 2014, expandiu as suas operações por meio de franquias para todo o país, e já conta com quatro unidades, sendo uma própria e três franqueadas, prevendo ainda a abertura de 55 novas unidades franqueadas nos próximos cinco anos. Além disso, a marca conta com ecommerce  www.elegance.com.br e pode ser encontrada fisicamente em mais de 600 pontos de venda espalhados pelo Brasil e pelo mundo (Estados Unidos, Chile, Colômbia, Argentina, Portugal, Japão e Nova Zelândia). Desde 2012, a empresa está instalada em um moderno parque industrial, localizado em Guaporé/RS, no qual produz em torno de 100 mil peças/mês.

Leia Mais

Desapega, desapega!

Por Lênia Luz

Chegamos a outubro, mês de algumas celebrações como Dia das Crianças , Dia Nacional da Leitura e da Padroeira do Brasil e não podemos esquecer de uma das ações mais conscientes do ano: a de prevenção do câncer de mama. ( veja sobre nossa Caminhada podeROSA, AQUI)

Por aqui, andei desapegando de algumas coisas e revendo o meu crescimento pessoal e profissional. Por isso, hoje quero pROSEAR sobre estes dois pontos: desapego e crescimento.

Há algum tempo atrás, em conversa com Fátima Rocha, uma referência de sucesso no mundo das franquias como franqueadora da rede MegaMatte, comecei a indagar por que temos tão poucas mulheres franqueando seus empreendimentos. Em minha consultoria de franquias, Aurelio Luz Franchising & Varejo, tenho um bom número de mulheres querendo comprar franquias, mas pouquíssimas franqueando suas marcas, mesmo compreendendo que esse é, sem dúvida, também um ótimo caminho para o crescimento e a expansão de sua empresa.

Fonte da Imagem: Empreendedorismo Rosa

Fonte da Imagem: Empreendedorismo Rosa

Algumas premissas norteiam o que faz uma marca ser franqueável, entre elas:

• Atuar em um mercado em constante crescimento, sendo que o crescimento de renda da população possibilita a nova entrada de novos consumidores;
• Não ser um modismo passageiro e estar consolidado no mercado local;
• Dominar a tecnologia necessária ao empreendimento, tendo experiência no mercado e não dependendo de terceiros para este crescimento.

A partir desta reflexão, e conversando com algumas mulheres empreendedoras, cheguei à conclusão de que suas empresas têm as premissas acima presentes. Entretanto, o que emperra o avanço da ideia de franquear seu empreendimento não é a barreira do investimento financeiro, mas a do investimento emocional. Sim, mulheres enxergam seus empreendimentos como “filhos”, e permitir que os filhos cresçam é muito difícil. Muitas vezes chegam até a franquear sua marca, mas não avançam no processo de expansão, por entenderem que só elas sabem fazer da maneira correta.

Como mãe de quatro filhos, diria que só eu sei entendê-los e orientá-los. Mas espere aí, só eu mesma? Posso dar a eles o manual de conduta familiar, e eles farão do jeito deles. No entanto, utilizando esse “manual” como referencial e contando sempre com minha “supervisão”, mesmo que, muitas vezes, a distância.

Nossas empresas e marcas são assim também. Para que cresçam, devemos nos desapegar do conceito de que só nós sabemos conduzir ou fazer. Desapegar em amor é a regra para o crescimento diário, seja ele pessoal ou profissional. E você? Vai desapegar do que hoje?

Grande abraço de crescimento.

Leia Mais

Empreendedora faz acontecer através de artigos para festas

Por Empreendedorismo Rosa

*Depois de completar dois anos no mercado e provar que seu modelo de negócio é viável financeiramente, a loja curitibana de artigos para festa Decore & Comemore se prepara para lançar as primeiras franquias. Já são três negociações em andamento nas cidades de Porto Alegre, Joinville e Campinas e a expectativa é alcançar até 30 lojas franqueadas em cinco anos.

A Decore & Comemore foi criada com base no movimento DIY (sigla em inglês para a expressão do it yourself ou faça você mesmo, em português). A loja aluga e vende artigos para festas, como móveis, louças, papelarias e itens descartáveis, e o próprio cliente fica responsável por montar tudo no dia do evento. A empresa oferece apenas suporte e orientação na escolha dos produtos.

“A ideia é resgatar o convívio familiar e proporcionar ao cliente a experiência de montar e desmontar a sua própria festa”, explica Mariceli Massuci, fundadora e sócia da Decore & Comemore. A ideia surgiu após a empresária conhecer o movimento DIY, muito difundindo nos Estados Unidos e presente em diversos modelos de negócio do país norte-americano.

 

Fonte da Imagem: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Fonte da Imagem: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Para os clientes que não sentem segurança em montar a própria festa ou que possuem dúvidas, a empresa oferece o serviço de consultoria. As decoradoras vão até o ambiente onde será feita a festa e ajudam o cliente a definir qual a melhor decoração. Mas, mesmo nesse caso, para não perder a essência do modelo de negócio, a parte da montagem fica para o cliente.

Mariceli garante que a proposta vem sendo bem aceita pelo público, principalmente por causa dos custos. Ela cita como exemplo uma decoração completa de aniversário de criança para 70 convidados. Contratando uma empresa tradicional, que vende, aluga, monta e desmonta, o custo incluindo o buffet sai por cerca de R$ 7 mil. O valor cai para R$ 1,5 mil usando os materiais da Decore & Comemore e sem a contratação de serviço de buffet. “Incentivamos nossos clientes a buscar soluções mais econômicas para festas. Recomendamos que eles mesmo façam a comida ou escolham cardápios mais enxutos de buffet”, diz Mariceli.

A loja de Curitiba, inaugurada em 2014, faz uma média de 20 eventos completos por fim de semana, além da venda dos artigos de papelaria e objetos descartáveis da marca própria, criada pela também designer Mariceli Massuci. O público majoritário é a classe B e a maioria dos pedidos é para festas infantis, mas no último ano começou a crescer a procura por artigos para casamentos.

Expandindo seu empreendedimento com o Franchising

Com os bons resultados, a Decore & Comemore formatou o seu negócio, com a consultoria em franquias e varejo, Aurelio Luz Franchising & Varejo, para virar franquia e está há três meses em negociações com interessados de Porto Alegre, Joinville e Campinas. O investimento total para abrir o negócio, que inclui projeto arquitetônico, mobiliário, equipamentos, reforma do imóvel e estoque inicial, fica em torno de R$ 422 mil.

O retorno do investimento se dá a partir do 25.º mês de abertura e, em 36 meses, a projeção de faturamento médio mensal é de R$ 109 mil, com lucratividade de 26%. O franqueado pagará mensalmente 5% do seu faturamento bruto em royalties, além de 3,5% que serão investidos em propaganda.

Mais informações sobre esta franquia de sucesso entre em contato com franchising@aurelioluz.com.br

É o PINK Franchising, fazendo acontecer!

Leia Mais