Feedback: uma prática de alinhamento e desenvolvimento profissional

Esta palavra é hoje tão difundida nas organizações que nos parece desnecessário  ressaltar sua importância; no entanto, em várias ocasiões quando colaboradores,  em todos os níveis hierárquicos, são abordados sobre o tema, muitos se surpreendem com suas próprias indagações e inquietudes sobre sua legítima aplicação.

Fonte da imagem: Reprodução

A tradução para o português  indica que FEEDBACK significa RETROALIMENTAÇÃO. Então fazendo uma analogia com a palavra em português, podemos concluir que a alimentação está para sobrevivência vital como o feedback está para o bom desempenho organizacional.

Não há como administrar um time, uma equipe, um colaborador sequer se não nos conscientizarmos da real importância desta prática de DAR e RECEBER FEEDBACK.

Para que esta prática  surta efeito, alguns componentes são essenciais:

  1. Confiança entre líder e subordinado (em qualquer nível hierárquico);
  2. Respeito mútuo (é fundamental o como é dado o feedback);
  3. Preparação do que vai ser dito (o feedback deve ser sempre baseado em dados e fatos, se possível com a maior riqueza de detalhes para que ambos se conectem com a situação e cresçam juntos);
  4. Paciência e escuta atenta (é imprescindível que  a troca de feedback seja feita com calma e em local apropriado);
  5. Entendimento e Próximos Passos ou Plano de Ação.

O objetivo do feedback é apoiar o desenvolvimento, é melhorar o relacionamento, a performance, para tal é fundamental o completo entendimento e aceitação do que precisa e pode ser mudado. Planos de ação factíveis e elaborados em conjunto também têm excelentes chances de sucesso.

O feedback é ao mesmo tempo uma prática na gestão de pessoas e uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento pessoal e profissional.

Vera Gobetti é profissional de Recursos humanos com mais de 20 anos de experiência em empresas nacionais e multinacionais, em posições de Diretoria e Vice presidência, sendo responsável por todos os subsistemas de RH além de presidente de Fundo de Previdência em sua última atuação corporativa na Ericsson do Brasil. Vasta experiência  em M&A e Start ups ; ampla vivência de Reorganização de empresas, planos de carreira e sucessão, coaching executivo, programas de Desenvolvimento de Lideranças e Contratação de executivos. Pós graduada em Dinâmica de Grupos  e vários cursos de extensão no exterior. Atualmente  trabalha como consultora independente, associada à consultorias para projetos de RH, em vários segmentos de negócios.

0 Comentário

  1. giselemeter@gmail.com'
    Gisele Meter 25 de fevereiro de 2013 13:34 Responder

    Excelente Artigo. Parabéns!

    • marcia.sousams@hotmail.com'
      Marcia Sousa 3 de março de 2013 02:36 Responder

      Ótimo artigo! É sempre bom reforçar esse tipo de conceito, pois frequentemente ele perde o sentido no dia-a-dia dos líderes.

      Deixe um Comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      *

      um × um =