Maternidade X Desempenho profissional

Por Daniela Folloni

Maternidade e carreira: será que uma coisa atrapalha a outra? Uma boa parcela de mulheres não abrem mão nem de uma coisa, nem de outra. E estão aí, se virando nas 24 (24 horas do dia) para fazer sucesso na carreira, ser uma mãe nota 10 (ou 8,5 que já está bem bom!) e criar filhos felizes, bem-resolvidos e de cabeça boa.

Desde que me tornei mãe, percebi que essa minha nova condição no mundo – de cuidadora, de orientadora e de apaixonada por minhas crias – não atrapalhou o meu sucesso. Na verdade, me levou para mais perto dele. Claro, a vida fica mais corrida e é preciso de um tanto de serenidade (e um tanto de terapia, suco de maracujá, oração… e o que mais a gente achar que funciona) para dar conta de tudo. Mas ao mesmo tempo, me senti mais forte para lutar pelos meus sonhos. Mas essa é só a minha experiência…

Então, no mês passado resolvi fazer uma pesquisa para o meu site, o ITMÃE para saber: afinal, sua vida profissional melhorou ou piorou depois que você se tornou mãe? Participarem 291 mulheres entre executivas, empreendedoras, profissionais liberais… inclusive muitas colunistas aqui do ER (muito obrigada a todas), 63% delas com idade entre 30 e 40 anos; 25% de 40 a 50 anos. Então vamos aos resultados?

Fonte da imagem: Priscila Tescaro Consultoria em Comunicação

A primeira pergunta que fiz: Você continuou a trabalhar depois que teve filhos? 70% respondeu que sim e 14% parou por um tempo, mas voltou. E como será que a carreira dessas mulheres ficou depois da maternidade? Para 55% a carreira evoluiu; para 32%, continuou na mesma; e para 13%, andou para trás.

E quer saber quantas delas mudaram de carreira depois dos filhos? 34%. Já a mudança de emprego foi bem maior: 51% delas trocou de trabalho. E o salário? 45% tiveram aumento; 33% ficaram na mesma e 22% tiveram perda de salário. Por fim, 57% das mães tem certeza de que se tornaram profissionais melhores depois da maternidade. E apenas 10% acham que desempenho piorou. E você? Já fez o seu balanço?

0 Comentário

  1. fafollmann@gmail.com'
    Fabiola 19 de maio de 2014 14:38 Responder

    Eu ainda nao sei em qual categoria me idetifico. Mas confesso que quero mudar de emprego, desde que tive meu filho. Primeiro para poder ficar mais tempo ao lado dele e Segundo porque acho que me realizando profissionalmente posso passar para o meu filho uma educacao melhor. Tipo, mae feliz, filho feliz!!!!

    • ackolb@cewmarketing.com'
      Ana Cristina 23 de maio de 2014 16:20 Responder

      Daniela muito bom os dados que voce partilhou, mas não compreendi, como o fato de se tornar “mae”, foi o fator “determinante” para melhoras de desempenho profissional. Como trabalho com a diaspora brasileira na area de integração profissional, onde a maior parte da comunidade são mulheres, me interessou muito saber mais detalhes sobre o seu estudo e estatísticas aqui descritos. Agradeco antecipadamente pela sua atenção, e parabéns pelo seu trabalho. Namasté e sucesso sempre!

      Deixe um Comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      *

      14 + 5 =