Demitidas ontem, empreendedoras hoje

Por Joyce Moysés

“Ao arrancarem meu crachá, arrancaram junto a minha pele.” Essa frase tão compartilhada nas redes sociais recentemente é da amiga e jornalista Claudia Giudice, que ingressou nas revistas da Editora Abril comigo, num curso para recém-formados que fizemos em 1987.

“A lógica é simples. Sempre que houver um tsunami na empresa e você, que tem cargo de chefia, não souber de nada, prepare-se. Há 99% de chance de a onda gigante levar você… Perdeu, chefia”, disse a Claudia em seu recente livro, A Vida Sem Crachá (Editora Agir). O que ela viveu em agosto de 2014, eu também vivi.

Ambas ocupando cargo executivo (embora ele chegasse mais alto, a superintendente), só que Claudia se dizia feliz, enquanto eu me sentia subaproveitada. Ser demitida doeu tanto quanto, mas também me trouxe a certeza de aproveitar melhor meu conhecimento e energia na minha empresa de conteúdo, de forma mais ágil como pede o momento.

A Claudia já tinha um plano B desde 2012, que agora virou AAA: é sócia na charmosa pousada Capela, no sul da Bahia. Vou listar aqui 4 aprendizados da colega com os quais eu concordo:

JOyce (1)

  1. Descubra qual é o seu sonho e o seu prazer. Não são todas as pessoas que têm desejos e planos latentes.
  2. Oportunidade também é filha da necessidade. Um bom vendedor pode até vender guarda-chuva no deserto, mas é bem mais difícil!
  3. Não se afobe e nem se envergonhe de ser uma ex-executiva poderosa aprendendo processos simples como preparar o café da manhã.
  4. O grande e o ótimo são inimigos do pequeno e do bom. Não precisa nascer com milhões de dólares nem com patrocínio de incubadora ou anjo. E, se o tiver, lembre-se de que eles vão cobrar ferozmente o retorno do investimento. É isso o que você quer?
  5. Claudia e a sócia não gastaram neurônios com planejamento estratégico nem montaram apresentação marqueteira. Fizeram tudo sem escrever uma linha. Hoje, ela não recomenda esse modelo. Tanto que foi fazer o curso Empretec, do Sebrae, para profissionalizar seu negócio, ter ferramentas.

Você ficou morta de curiosidade para saber como ela sobreviveu à notícia “você está demitida” e as descobertas que vem fazendo para seu empreendimento hoteleiro prosperar? Num post não caberia tantos detalhes. Eis uma vantagem de existir o livro. Vai lá ler!

Claudia, desejo muito sucesso para nós, jornalistas empreendedoras, que estamos no jogo!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

seis + treze =