Movimento Mulheres do Brasil terá seu lançamento em Curitiba

Por Empreendedorismo Rosa

O Movimento Mulheres do Brasil (MDB) será oficialmente lançado em Curitiba na tarde de quarta-feira,  dia 31/05 na FIEP – Federação das Indústrias do Estado do Paraná.  Uma palestra ministrada pela empresária Luiza Trajano, da rede varejista Magazine Luiza e por Maria Fernanda Teixeira ex- presidente da First Data do Brasil, empresa líder global em transações eletrônicas para o segmento financeiro

A empresária Regina Arns, presidente do MEX – Espaço Mulheres Executivas, quem  irá liderar o movimento no Estado do Paraná tendo na co-liderança Margaret Groff, ex – Diretora da Itaipu.   Regina, na ocasião,  apresentará as líderes dos núcleos que serão desenvolvidos nesta primeira fase. Um dos núcleos será o de Empreendedorismo, que estará sob a liderança de nossa Fundadora, Lênia Luz.

Fonte da Imagem: MDB

Fonte da Imagem: MDB

 

O Movimento Mulheres do Brasil, é uma iniciativa criada pela empresária  Luiza Trajano, desde 2013 na cidade de São Paulo e, desde então, vem  ganhando braços em outros Estados. Atualmente, aproximadamente 3 mil mulheres em todo país integram o grupo.

 “Esse é um movimento apartidário e eu acredito que, através da sociedade civil, nós vamos trazer transformações dos nossos sistemas – explica Luiza – ao pontuar que as integrantes do movimento já lideram 12 frentes de trabalho no território nacional.” 

A conquista mais recente do movimento, afirma a empresária, foi a aprovação no início de março, no Senado, de um projeto de lei que institui cotas femininas em conselhos de administração de empresas públicas. Agora, o projeto precisa ser estudado e votado pela Câmara dos Deputados.

“A cota é um processo transitório para diminuir a desigualdade. Depois de dois anos de muita luta, de mulheres indo para Brasília e conscientizando, não brigando, mostramos a importância do projeto para os senadores “ comemora Luiza.

Sônia Hess, presidente da Lide Mulher e ex-presidente da Dudalina, afirma que além das causas sociais, o MDB também apoia ações empreendedoras e de políticas públicas.

Se você tem interesse em saber mais sobre este  movimento e quer ter uma tarde de boa pROSA e muito networking, inscreva-se AQUI.

O evento é gratuito e as vagas são limitadas.

Esperamos você para FAZER ACONTECER com a gente!

AGENDA:

Dia: 31/05/2017

Horário: a partir das 17h

Local: FIEP- Federação das Indústrias do Estado do Paraná – Curitiba – Paraná

Inscrições:  https://www.sympla.com.br/pr—reuniao-nucleo-parana__141457

 

 

 

Leia Mais

Sari cor de rosa

Há um tempo, a Lênia me convidou para escrever no Empreendedorismo Rosa para dar um tom mais “social” ao Blog. Por que disso? Porque toda a minha experiência até hoje foi justamente na área social. Ultimamente, preciso confessar que estava meio desapontada com a área e querendo um pouco de distância do assunto. No entanto, meu coração é de lá mesmo. E isso se comprovou, nessa semana, quando ao curtir a página do O machismo nosso de cada dia, vi uma foto que me chamou muita atenção, vejam aqui.

Fonte da imagem: Primeira Linha

Meu coraçãozinho bateu mais forte e escrevi para a Lênia dizendo: “já sei qual será o assunto do meu próximo post”.

A Índia para mim, até 2007, era um país longínquo, cheio de pobreza, sujeira, antigo, arraigado em preconceito e de pouco desenvolvimento social e econômico. Quando eu entrei na AIESEC (www.aiesec.org.br), descobri um novo mundo: a Índia. É sim um país pobre, sujo, antigo, arraigado em preconceito e com um “atraso” no desenvolvimento social e econômico, mas vi que é um país incrivelmente surpreendente: cheio de gente linda, de muitas culturas, cheia de movimentos sociais importantes, de costumes misturados e acima de tudo, FORTES.

Fui pesquisar o que era o tal Exército de Sari Rosa. Descobri o seguinte: Sampat Pal era uma vendedora de chá, nascida numa casta baixa (sim, as castas realmente existem na Índia) que mal sabe ler e escrever, e é a líder do Gulabi Gang. Cansada de ver as mulheres indianas sofrerem abusos de todos os tipos, começou a peregrinar para ensinar as mulheres de todo o país a se defender com o “Iathi”, um bastão de bambu, que é o que os policiais na Índia usam como arma.

Sari é essa roupa “típica” das mulheres da Índia. E o Movimento só passou a ter força e representatividade, quando passaram a usar, como uniforme do movimento, o Sari Cor-de-Rosa. Essas mulheres ao chegarem a um vilarejo, todas juntas e gritando palavras de ordem, vestidas com saris rosa, pressionam funcionários públicos corruptos ou os maridos que abusam de mulheres a se redimir, devolver dinheiro roubado, evitam casamentos infantis, pressionam investigações contra mulheres e qualquer coisa, que se entenda como violação dos direitos das mulheres.

Hoje, o Exército de Sari Rosa já conta com 100.000 mulheres . Nossa sociedade está dominada pelos homens. Nós mulheres devemos receber educação e também trabalho. Isso solucionaria os nossos problemas”, afirma a “guerrilheira” Sampat.

“Considero-me valente e queria transmitir a outras mulheres essa minha valentia”, afirma Sampat, que se casou aos 12 anos com um homem dez anos mais velho. Teve que brigar com o seu pai para poder ir ao colégio, com o seu sogro para que o véu não lhe cobrisse o rosto e com o seu marido para poder sair da casa.

Quando leio casos assim, e isso ainda me arrepia, eu tenho certeza de que a minha decepção com o mundo social é só temporária. As inconsistências sociais e os absurdos no mundo que me aguardem! Eu volto logo!

Se quiserem se arrepiar um pouquinho, basta assistir o vídeo abaixo! (está em inglês, mas tudo que achei sobre elas estava em inglês…)

Andressa Trivelli é administradora de empresas pela PUC-SP, já trabalhou nos três setores da economia com Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos. É sócia diretora da Tekoha desde 2007 e Gerente comercial da Artenata. Especialista em Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs, e Mestranda em Administração de Empresas pela FGV-SP.

Leia Mais

Vamos celebrar o empreendedorismo ?

Por Lênia Luz

Uauuuuuuuuuuuuuuuuuu! Maio chega e com ele mais um ano de Empreendedorismo Rosa. Sim, hoje celebramos 5 anos de vida.

Se pudesse colocar aqui todas as experiências, vivências, histórias vividas, penso que já teria um bom livro para lançar, mas hoje quero falar sobre Celebração!

Vou parafrasear Oswaldo Montenegro, em sua música Vamos Celebrar, para que juntos celebremos mais um ano empreendedor, afinal você é personagem principal desta história.

 

apsposts_HP_maio

 

“Eu gosto de empreender em todos os cantos e pROSEAR um bocado com estas mulheres que tem um tom sempre ROSADO e vem comigo brindar.
Eu gosto do estilo empreendedor arrojado e de abraço apertado
Eu gosto de empreendedores diversos que com suas histórias me inspiram um tanto assim
Eu gosto de as vezes ficar fora dos trilhos, de caminhar com meus filhos e da cor do rosa pink, SIM!
Tem gente, muita gente que eu gosto
que eu quase aposto que não gosta de mim, mas a vida é assim…

Eu gosto de olhar para frente, de ter foco nas “gentes” que buscam o meu olhar.
Eu gosto de quem sempre acredita que a vida é bendita, que mesmo com as lutas diárias vale à pena continuar.
Eu gosto do repique do atabaque, de meditar com incenso, ler a bíblia em silêncio e louvar para me reconectar com o PAI.
Eu gosto de inventar novas pROSAS, inovar com as podeROSAS e dos 4F’s, enfim…

Eu gosto de saber que é possível, mesmo quando tudo parece impossível e correr os risco que tenho para correr.
Eu gosto do canto empreendedor, de novos negócios surgindo e de conhecer gente que vem para somar e fazer valer
Eu gosto de parceiros sinceros, de mentores iluminados e de clientes que querem crescer.
Eu gosto de quem é moderno e de quem não quer ser, mas sobretudo de quem sabe que o “olho no olho” é que faz a vida de fato valer.

Eu gosto de empreender na madrugada e de encontrar outros pares, para surtar juntos até o amanhecer.

Eu gosto da risada gargalhada, da beleza em todas as mulheres empoderadas que não se cansam de fazer acontecer.
Eu gosto de quem quer dar ajuda, de quem pede ajuda e acredita que muda o que não anda legal.
Eu gosto de quem pede socorro, sem mimimi e com muito hahaha, sem medo de parecer um tolo e simplesmente assumir quem se é.

Eu gosto é de ver ações podeROSAS raras, e da verdade na cara de quem vem para ROSEAR.

Eu gosto deste empreender que tem valido a pena, desta vida de altos e baixos, deste frio na barriga constante e deste amor que me move e hoje me faz celebrar

Eu gosto é de cantar e te convido engrossar este coro, pois fazemos 5 anos de muito riso e muito choro e por este motivo,vamos celebrar, celebrar, celebrar… Vamos celebrar!

Vamos celebrar, celebrar, celebrar… Vamos celebrar!”

Gratidão por celebrarem comigo!

Anotem na sua agenda, dia 24/05 teremos uma pROSA especial, comigo, falando sobre minha caminhada nestes 5 anos de empreender, garanta seu ingresso com um valor super especial para você que nos acompanha:https://www.sympla.com.br/happy-com-prosa-respeiteminhacaminhada__139644

 

Leia Mais

Amor, tempo e morte: O que te conecta ao outro?

Por Tati Verri

“Amor, tempo e morte: Essas três abstrações conectam todo os seres humanos da terra”  – Beleza Oculta

Dia desses assisti ao filme Beleza Oculta, tiveram críticas positivas e negativas, mas o que quero compartilhar  não é sobre o desenrolar da trama, o que me chamou a atenção é como o triângulo central amor, tempo e morte reflete toda a nossa existência, mesmo que não tenhamos consciência disso.

“Amor, tempo e morte: Essas três abstrações conectam todo os seres humanos da terra”. Foi com essa frase que o filme me prendeu em pensamentos e me fez pensar sobre a vida.

 

Fonte da Imagem: Host Geek

Fonte da Imagem: Host Geek

O primeiro da nossa lista é o amor, ah amor! Sentimento tão romantizado pelas culturas em geral. Mas amor é mais do que um sentimento entre casais, você precisa ter amor na vida! Ame sua família, amigos, trabalho, hobbies, flores, SE AME, enfim, AME tudo o que envolva seu sentimento mais sincero, sua paixão maior. Nós ansiamos por amor na vida, precisamos desse sentimento em tudo o que fazemos, trabalhar com o que amamos, casar com quem amamos, aprender o que amamos, nos amar verdadeiramente. É esse sentimento mais puro que buscamos a todo instante, em qualquer situação. O amor é o que rege a nossa vontade de estar, de ser e de viver.

Tempo, o que é tempo para você? O tempo é relativo, eu sei é clichê, mas é real, pare e pense, 1 ano para você com certeza não passa na mesma velocidade do que para uma criança de 6 anos. Quanto mais crescemos, temos mais a sensação de que o tempo está “voando” , é uma regra natural da vida. Sabendo que o tempo é relativo e que todas nós queremos mais desse bem precioso (quem nunca resmungou “preciso de mais tempo”?), nos resta perguntar: Para que você quer mais tempo? O que você tem feito com ele? Como você tem aproveitado o seu presente diário? O tempo não vai mudar, o que pode mudar é como você o aproveita. Quando estiver fazendo algo faça com consciência, se estiver com alguém, esteja de verdade. Esteja presente no seu presente, valorize seus momentos, até um trânsito ferrado na hora de ir para casa pode ser bem aproveitado se você prestar atenção nos detalhes da vida, se prestar atenção em você.

Agora vem a tão temida morte, é por conta dela que ansiamos o amor e que desejamos ter mais tempo. Quantas vezes já não escutamos “preciso fazer isso antes de morrer”? A morte faz parte da vida e pode ser mais abrangente do que apenas a morte de alguém. Uma cultura, um sentimento, um sonho, tudo isso pode morrer. Mas nem por isso a morte é algo ruim, que você deva amaldiçoar e ter pavor. A morte pode te ensinar muito, te ensinar a dar valor as pessoas que ama, aproveitar os detalhes da vida e ser uma pessoa melhor por exemplo. Tudo depende de como você a vê. Aproveite ao máximo cada momento da sua vida, sua família, seus passeios, seus aprendizados e você não precisará ter medo da morte.

Trazendo as palavras de Howard: “nós ansiamos o amor, desejamos ter mais tempo e tememos a morte”. Tudo em nossa vida se reflete nesses 3 pontos, esse triângulo é o que nos conecta não só a pessoas, mas nos conecta com nós mesmas.

Conecte-se!

Leia Mais

Empreendendo fora do Brasil: Uma empresária fiel a sua trajetória de vida

Por Rosani Erhart Schlabitz

Nossa correspondente na Alemanha, nos inspira com mais uma história empreendedora, de uma brasileira que faz acontecer por lá.  

A  brasileira Alexa Oliveira vive na Alemanha desde 1999. Em 2014, na fase em que o Brasil estava sendo o anfitrião da Copa do Mundo de Futebol, decidiu abrir uma loja de roupas e acessórios femininos  chamada -Alexa Jeans- em Berlim. Apostou muito na visibilidade positiva que o Brasil estava tendo nesta época e mostrou ao público latino-americano desta cidade os produtos de moda brasileiros.

A empresária  sempre gostou do mundo da moda, pois cresceu vendo o pai que era alfaiate desenhar e fabricar grandes modelos de roupas clássicas e sociais.  “Ele foi uma inspiração para mim, sinto que a moda  está no meu sangue e sempre disse que um dia teria minha loja. Hoje meu sonho está  realizado”, relata Alexa.

17270094_1398675286861559_1107876496_n

Na Alemanha é comum escutar que a maioria dos estrangeiros  que vem ao exterior acabam reinventado-se  profissionalmente. É difícil iniciar uma nova vida em outro pais como se este  fosse a extensão de sua vida do pais de origem. Existem muitos casos onde os profissionais de empresas vem transferidos, mas isso não acontece com quem é empreendedor. Para Alexa “ o  empreendedor tem que começar do zero mesmo,  aprender o idioma, a cultura e inserir-se na sociedade aos poucos. Fazemos parte de um grupo de pessoas que precisa procurar formas de sobreviver e através desta procura encontra nichos no mercado para aplicar seus talentos e fazer valer seus sonhos.” conta a empreendedora.

Sendo assim, Alexa fez um planejamento, colocou metas, focou nos seu valores e no que aprendeu  em casa com o exemplo de seu pai.  Trabalhou muito, com perseverança  e persistência. Tudo que deu errado foi considerado como aprendizado. Assumiu para si mesma que gostava mais de trabalhar com o público feminino e investiu na conquista deste público. Hoje ela recebe em sua loja brasileiras, cubanas, peruanas, russas, italianas e alemãs. São clientes que tem um perfil bem definido, querem e gostam de  produtos que valorizem o corpo. Uma das marcas mais vendidas são as calças Jeans da Pit Bull Jeans, Carpam Jeans, Raça Eleita Jeans. Além disso, os biquínis Focato moda praia, também tem muita procura. Sem esquecer o Boticário e Ana Hickmann.  Um pacote brasileiro completo,  só que dentro da Alemanha.

O sucesso da loja chegou em 2016 e com ele a ideia de unir um mercadinho de produtos alimentícios brasileiros, sugerido pelas próprias clientes.  O mercadinho atrai um público novo ao local. A mercadoria é 100% brasileira e conta com 300 produtos diferentes como: carne seca, tapioca, açaí , entre outros.  Mas o que tem mais saída são os salgadinhos feitos pela própria empresária juntamente com sua prima e gerente da loja, Rose Guimarães.

O grande diferencial de Alexa é que unido aos produtos brasileiros que oferece no exterior está o  tratamento especial que dá as  suas clientes. Ela fala que:  “Minha loja é uma sala de confidências. Muitas vezes é  uma reunião de auto-ajuda, onde as pessoas desabafam suas dificuldades. A vida no exterior ás vezes é bem difícil. Temos que apoiar uns aos outros. Por isso sempre recebo a todos com um sorriso – é minha arma mais poderosa e agora também ofereço os meus salgadinhos que deixam a todos mais felizes. Procuro incentivar  as mulheres a serem mais positivas, a terem fé e acreditar que Deus cuidará de tudo. Isso reforça a fé delas e a minha”, encerra a empresária Intercultural.

As palavras que definem Alexa Oliveira  são:

  • Gratidão ao meu marido.
  • Gratidão por ter tido perseverança.
  • Gratidão por ter sido dedicada.
  • Gratidão por terem confiado em mim.

 

 

Leia Mais

Mulheres e a administração do tempo

Por Tereza Karam

É lenda? Ou nós mulheres conseguimos mesmo fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Tá na boca do povo! Somos polivalentes, exercemos vários papéis e conseguimos “assobiar e chupar cana”. É para nos envaidecer, certo? Não tenho tanta certeza assim!

Minha caminhada como mulher, psicóloga e coach tem me mostrado que apesar de fazermos várias coisas ao mesmo tempo, a exaustão chega para nós tanto quanto para os homens. Os dados estatísticos da medicina, tem mostrado o surgimento de doenças antes eminentemente masculinas, transitando no universo feminino.

Será que fazemos muitas coisas ao mesmo tempo e somos chamadas de multitask ou multitarefas por teimosia? Porque queremos provar algo para alguém? Porque precisamos provar coisas para nós mesmas?

Na verdade, existe uma explicação científica para este comportamento que tem incomodado tanto os homens quando se comparam à nós.

Fonte da Imagem Pinterest

Fonte da Imagem Pinterest

Somos monotask como eles, e ficamos exaustas como eles, quando fazemos várias coisas ao mesmo tempo, mas nosso funcionamento cerebral é diferente na espessura do corpo caloso.

Vamos às explicações!

  • O corpo caloso faz a ligação entre os dois hemisférios cerebrais.
  • Na mulher ele é mais espesso, pois para de diminuir com a chegada da menstruação.
  • Por ser mais espesso, estabelece a comunicação mais rápida entre os dois hemisférios.
  • Um dos hemisférios é o responsável pelas funções psicológicas superiores: raciocínio lógico matemático, memória…
  • O outro é o hemisfério mais criativo.

Por conta desta morfologia, quando aparece algum problema ou quando somos estimuladas com muitas informações, acessamos os dois lados do cérebro – o mais racional e o mais criativo –  e achamos soluções mais rapidamente. Daí parecermos multitarefas, mas não somos. Precisamos tanto quanto os homens de FOCO.

Isto mesmo! Se você quer ser produtiva durante seu dia e chegar à noite feliz, precisa manter o FOCO. A melhor estratégia, é o planejamento das atividades utilizando seu fluxo de energia.

Período de maior disposição? Desligue-se do mundo e mantenha o foco naquilo que está fazendo sem interrupções.

Hora de relaxar? Desligue-se do mundo e curta seu momento!

Está interagindo socialmente? Conecte-se às pessoas!

Mas… apareceu uma urgência? Libere-se para acelerar as conexões sinápticas entre os dois hemisférios e mostre ao mundo a sua polivalência.

 

EM TEMPO:Quer fazer parte do workshop Tríade: Personalidade, Espaço e Tempo, então a hora é agora, inscreva-se aqui e garanta sua vaga: https://www.sympla.com.br/workshop-a-triade-personalidade-espaco-e-tempo__125409

 

 

Leia Mais