A busca pela beleza

Não é de hoje que eu gosto da Carla Bruni, ex-primeira dama da França e ex-modelo. Durante o tempo em que estudei francês, eram as músicas dela as que eu mais ouvia. De lá pra cá, acompanho suas entrevistas quando posso e a considero uma mulher muito bonita, cheia de atitude e inspiradora.

naousamosapenasrosa.blogspot.com.br

E minha intenção não é discorrer sobre as suas atividades filantrópicas ou o quanto ela custou para o estado como primeira-dama, mas sim sobre uma entrevista que a atual cantora cedeu à Veja. Em uma das perguntas da jornalista Tatiana Gianini, Bruni respondeu:

“A beleza, depois de certa idade, está muito mais ligada à elegância, à simpatia e à inteligência. Até os 35 anos de idade, mesmo uma pessoa desagradável pode ser considerada bonita. Depois, não mais.”

O escritor e jornalista Fabrício Carpinejar continua com o discurso em seu blog: “Depois o que ilumina a pele é se ela é amada ou não, se ela ama ou não, se ela é educada ou não, se ela sabe falar ou não. Depois dos 35 anos, a beleza vem do caráter. Do jeito como os problemas são enfrentados, da alegria de acordar e da leveza ao dormir. Depois dos 35 anos, o sexo é o botox que funciona, a amizade é o creme que tira as rugas, o afeto é o protetor solar que protege o rosto. A beleza passa a ser linguagem, bom humor. A beleza passa a ser inteligência, gentileza. Depois dos 35 anos, só a felicidade rejuvenesce.”

Isso me fez pensar sobre a constante busca pela perfeição. Buscamos sempre o melhor, o máximo de nós, e muitas vezes travamos nossos sonhos e sofremos por não conseguirmos atingir expectativas altas demais, que impomos a nós mesmas. Mas e se buscarmos a beleza? Essa beleza de depois dos 35 anos?

Eu proponho que hoje você não busque a perfeição, mas a beleza. A beleza da rotina, a beleza das derrotas, das atitudes, da educação. A beleza da colaboração, da transformação. A beleza que é ficar mais velho, a beleza da vida bem vivida. Se você encontrar essa beleza, seja aos 20 ou aos 40, mulher, aí você alcançou a perfeição.

Amanda Riesemberg é publicitária, formada no Centro Universitário Curitiba. Fundadora da Nossa Causa  – Agência de Transformação Social, luta pelo crescimento do voluntariado, das atividades filantrópicas no país e da profissionalização do terceiro setor. Voluntária no Instituto HUMSOL, foi uma das 15 brasileiras convidadas para o Programa de Intercâmbio de Empoderamento Feminino realizado nos Estados Unidos em 2012. Trabalhou com projetos sociais como Esta vaga não é sua nem por um minuto, Outubro Rosa, Ciclista Legal e Antonina Weekend.

Leia Mais

Feliz Páscoa!

Fonte da imagem: Empreendedorismo Rosa

 

Os festejos da Páscoa em todo o mundo possuem variações em suas origens e significados.

  •  Na China, o “Ching-Ming” é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.
  •  Na Europa, as origens da Páscoa remontam a bem longe, aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia em março). Nestes lugares, as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os ovos de Páscoa como, por exemplo, rolá-los ladeira abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.
  •  Nos países da Europa Oriental, como Ucrânia, Estônia, Lituânia e Rússia A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses “ninhos”.
  • Nos Estados Unidos, a  brincadeira mais tradicional ainda é a “caça ao ovo”, onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a “caça ao ovo” é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.
  •  No Brasil e América Latina, o mais comum é as crianças montarem seus próprios ninhos de Páscoa, sejam de vime, madeira ou papelão, e enchê-los de palha ou papel picado. Os ninhos são deixados para o coelhinho colocar doces e ovinhos na madrugada de Páscoa. A “caça ao ovo” ou “caça ao cestinho” também é utilizada.
Não importa qual  a tradição, o que desejamos a você é que o sentimento de renovação  se faça presente neste dia. Feliz Páscoa!

Leia mais: http://www.mensagenscomamor.com/pascoa.htm#ixzz3WRIEqlpa

 

Leia Mais

Empreendedorismo Feminino: Coloque seu bloco na rua

Por Lênia Luz

                                                Fonte da imagem: Empreendedorismo Rosa

 

Dizem as excelentes línguas que nós mulheres somos empreendedoras natas e que só depende de nós desenvolvermos esta característica para colocar o nosso bloco na rua.

Não há como negar que temos uma imensa capacidade de lidar com as emoções e de agir de forma equilibrada e harmoniosa para alcançarmos nosso próprio crescimento. Conseguimos conciliar nossa vida profissional e pessoal. Nós nos multiplicamos em 10.000 para dar conta de tudo. E por fim, vemos no resultado final exatamente o que planejamos.

Estudos afirmam que as mulheres veem seus negócios muito mais como um desafio do que um fardo.  A mulher que empreende vislumbra o sustento, mas a cada dia vê também as oportunidades que o mercado oferece.

No quesito intuição, flexibilidade e preocupação com os clientes, somos imbatíveis.  Afinal, temos um relacionamento interpessoal apurado, um nível de confiança maior e uma comunicação muito eficaz. Dentro deste contexto empreendedor estamos cada vez mais gerando empregos, fechando parcerias, inovando e criando negócios que movimentam a economia de nosso país e do mundo.

Meu convite a você: Aproveite o clima festivo de fevereiro, coloque seu bloco na rua e mostre ao mundo dos negócios o seu “gingado” empreendedor.

Bora ROSEAR o mundo?

Em tempo: Se ligue em nossa agenda repleta de ações empoderadoras para você e seu empreendimento: http://www.empreendedorismorosa.com.br/agenda/

Leia Mais

5 mantras para turbinar o Ano Novo

Por Empreendedorismo Rosa 

Dezembro e janeiro são tipicamente os meses das promessas. Mentalizamos o que queremos mudar, projetamos uma vida nova… Mas, frequentemente, os desejos não saem do plano das ideias. A empreendedora Jen Groover afirmou ao site Entrepeneur que é essencial ter a perspectiva do que realmente é prioritário para você. Ela garante que conseguiu encontrar a tal da fórmula mágica para realizar os sonhos do Réveillon

 

Fonte da imagem: kalyanlovesyoga

O segredo, para Groover, é seguir os seguintes mantras:

  1. “Um dia”, não. Hoje. Pare de adiar os compromissos e de criar subterfúgios para não iniciar suas tarefas. Controle-se e sempre resolva os problemas imediatamente. Isso também vale para as vontades: por que esperar o convite de alguém para comer pizza? Saia do trabalho e experimente um jantar atípico.
  2. Tenha mais medo de se arrepender do que de falhar. O desapontamento pode ser doloroso. Mas não será pior que o sentimento de não ter sequer tentado. Sinta-se livre para arriscar. Mesmo que não dê certo, você terá a consciência tranquila por não ter ficado inerte.
  3. Estou sempre em um bom dia. Isso pode parecer difícil de acreditar. Mas, de acordo com Groover, adotar um ponto de vista positivo é um importante passo para o sucesso. “Ser pessimista atrai elementos negativos”, diz. Então, sempre tente ver o lado bom. Até daquele contrato que deu errado.
  4. Obstáculos guardam oportunidades. Os desafios sempre trazem uma lição. Cada dificuldade pode ser uma forma de exercitar a capacidade de superar os problemas e de ser criativo. A parceria malsucedida com aquela empresa pode originar uma boa ideia de negócio.
  5. Viva com paixão. Ter objetivos é essencial, de acordo com a empreendedora. Pare de perguntar-se o que deveria fazer e questione-se: quem quero ser? Dessa forma, você entenderá quais são suas metas na vida. E poderá persegui-las com determinação.
    Groover aconselha que você escreva esses mantras em papeizinhos e espalhe pelas paredes ou pelo espelho. Quando estiver preocupado ou desesperado com alguma situação, leia-os em voz alta. Bom, não custa tentar.

Fonte: Papo de Empreendedor

Leia Mais

Menos “barbies” e mais “Valentes” – Mulheres para “dobrar” o Brasil!

Por Rodrigo Brito  co-fundador da Aliança Empreendedora

Como você foi educada e qual é o seu perfil? Você está mais para uma Barbie (a boneca frágil, simpática e arrumada) ou uma Valente (a menina corajosa, aventureira e descabelada do filme da Pixar)? E como irá educar sua filha (ou filho)? Caso você não tenha uma filha, como você tem educado seu marido ou namorado? Ele também arruma a casa e lava as roupas ou você é mais uma grande mulher “atrás” de um grande homem?

 

Valente

O que acontece em casa também vale para o trabalho, como você tem educado seus colegas e chefes para que todo mundo tenha direitos, deveres e oportunidades iguais de crescer? Mais do que uma questão de postura, estilo de vida ou “luta por direitos”, ser e formar “Valentes” é uma questão de futuro, de oportunidade e desenvolvimento para você, as próximas gerações e para o país.

Sim, a participação da mulher no mercado de trabalho está crescendo (inclusive em cargos de liderança), mas ainda é predominantemente masculino. Homens ocupam 57,7% das ofertas de trabalho e são melhor remunerados. Segundo o IBGE, o rendimento das mulheres continua 28% inferior em relação ao dos homens. E apesar das mulheres estarem no comando de metade dos empreendimentos do Brasil (de cada 100 negócios criados, 49 são de mulheres), o mundo das startups de tecnologia e de negócios inovadores (ou de alto impacto) é essencialmente masculino em mais de 75% dos casos. Por que será? Será que mulheres são menos inovadoras ou não têm aptidão para ciência e tecnologia?

Olhe para o computador que você está usando agora. Você sabia que ele não existiria como o conhecemos se uma mulher chamada Ada Lovelace fosse educada para ser apenas mais uma “Barbie”? Filha do poeta Lord Byron (que a abandonou quando ela tinha um mês de vida), Ada nasceu em 1815 e é considerada e reconhecida como a 1° programadora da história. Foi ela quem escreveu o que hoje se considera o 1° algoritmo para ser interpretado por uma máquina. A mãe de Ada procurou dar-lhe uma educação em matemática e música, e ela foi educada como a nobreza intelectual da época e através de tutores pessoais.

Como uma “Valente”, Ada manifestou desde cedo uma enorme aptidão para a Matemática, inventando e desenvolvendo uma série de conceitos e descobertas ao longo de sua curta vida, ela faleceu com 37 anos em 1853. Em 1953, cem anos depois da sua morte, seu projeto e notas entraram para história como o 1° computador e software da história, respectivamente. Em 1980, o Departamento de Defesa dos EUA registrou a linguagem de programação “Ada” em sua homenagem. Assim como Ada, outras mulheres como as “Top Secret Rosies” e Grace Murray Hopper foram cruciais para o desenvolvimento da computação.

No Brasil, uma mulher foi crucial para o desenvolvimento do Proalcool e por tornar o país num dos maiores produtores de soja no mundo. Nascida em 1924, Johanna Döbereiner tornou-se uma das agrônomas de maior influência no país e foi considerada a mulher brasileira mais citada pela comunidade científica mundial, e a sétima em se considerando todos os cientistas do país. Seus estudos da fixação biológica de nitrogênio por bactérias e o trabalho que desenvolveu na Embrapa conseguiram produzir um enorme resultado para a agricultura brasileira. Pouco conhecida no Brasil, mas respeitada no mundo inteiro, Johanna assina mais de 500 trabalhos científicos e foi indicada ao Prêmio Nobel de Química em 1997. Apesar de receber convites para trabalhar no exterior, Johana nunca quis deixar o que considerava o seu país.

O que quero propor como reflexão e destacar com estes casos é que investir nas mulheres não é apenas uma questão de injustiça ou luta por direitos, mas uma questão de oportunidade, crescimento e desenvolvimento do país. Quantas Adas, Johannas foram ou estão sendo desperdiçados nas empresas, governos, ONGs e universidades do Brasil?

Quantos talentos, riquezas e avanços deixaram e deixam de ser gerados por uma cultura em que apenas meninos são incentivados a brincar de cientistas e soldados enquanto as mulheres brincam de panelas e casinha? Ou por que sempre as “princesas” frágeis e vulneráveis das histórias são sequestradas para que Super Marios e tantos outros heróis masculinos sejam os únicos aptos a resgatá-las? Faltam mais “Valentes” e “Meninas Superpoderosas”! Enquanto as mulheres não brincarem de empresárias e cientistas e/ou serem incentivadas a resolver seus próprios problemas, pouca coisa irá mudar.

Lutar e denunciar injustiças sim, mas ao mesmo tempo ocupar espaços, criar programas de formação e investimento, assim como fomentar e disseminar novos símbolos e exemplos que possam influenciar e mobilizar a cultura, a educação e a sociedade.

E que fique claro que criar as condições para liberar este potencial (e aproveitar esta oportunidade) não é (nem deve ser) papel exclusivo do governo. Mas de mães e pais, homens e mulheres, colegas, gerentes e diretorias de empresas que devem evoluir em suas práticas, concepções e modelos mentais.

É papel de todas e todos fazer com que as mulheres realizem o seu potencial e possamos assim dobrar o Brasil! Em frente, “Valentes”!

Leia Mais

MAS AFINAL, ONDE VOCÊ QUER CHEGAR?

Por Carla Valente

A resposta para essa pergunta é o que aproxima você de seu sucesso. Lembra-se daquela frase que diz que: “se você não sabe para onde quer ir, qualquer lugar serve”? Na vida também funciona dessa forma, é de grande importância saber responder algumas perguntas que darão a você clareza e sentido à sua vida.

Qual foi a última vez que você tirou um tempo para pensar no que você realmente deseja, quem quer conhecer, onde  quer chegar, que tipo de amigos gostaria de ter, o que quer ter, em quem quer se tornar, o que deseja melhorar? Esta é a hora certa para começar, não deixe de lado sua felicidade, não deixe para pensar na sua vida amanhã, é agora que tudo começa.

 

Fonte da Imagem: Estudio Trevisart

Fonte da Imagem: Estudio Trevisart

 

Permita-me dividir como você uma descrição ótima que encontrei em um livro para mapear um trajeto rumo ao sucesso, imagine a seguinte hipótese: Você comprou um carro novo e decidiu viajar, esse carro veio equipado com um fantástico sistema de GPS e pode levá-lo onde você desejar. Até aqui tudo bem, mas temos um detalhe importantíssimo a ser levado em consideração: qual será seu destino? De nada vai adiantar toda essa tecnologia se você não colocar um endereço ou um destino final para o seu GPS.

Igualmente ao equipamento GPS, também funciona o nosso cérebro, você precisa dizer a ele para onde deseja seguir, onde quer chegar, só então será desenhada uma rota, um caminho para a jornada da sua vida. Na sua vida funciona da mesma maneira, quando você decidir para onde você quer ir e onde quer chegar, seu GPS interior (cérebro) irá traçando um caminho para o seu destino. É desta forma que somos estimulados a buscar meios para concluir a trajetória.

“Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela” Paulo Coelho.

Leia Mais